Questões de Concurso #1513690
1
Q1513690
Pedagogia Construção do conhecimento
Atalhos
Compartilhar
Ano: 2018
Banca: Comissão permanente de Concursos - UFAM - COMPEC
Prova: COMPEC - UFAM - Universidade Federal do Amazonas - Técnico em Assuntos Educacionais

Edgar Morin afirma que a globalização é resultado de um processo que se iniciou com a conquista das Américas e a expansão dominadora do ocidente europeu sobre o planeta. Do seu ponto de vista, isso representa a primeira modernização e unificação mundial danosa para todos, no princípio do século XVI, com a globalização dos micróbios: a tuberculose chegou às Américas e os micróbios americanos da sífilis chegaram à Europa. A segunda é a globalização minoritária, da autocrítica e relativização dos conhecimentos dominantes feita por intelectuais, como Bartolomeu de las Casas, Montaigne, Montesquieu e Lévi-Strauss, que valorizam as virtudes e qualidades humanas das culturas consideradas pequenas, antigas, primitivas, descobrindo conhecimentos que não conheciam. Deste modo, Edgar Morin reconhece que:

A

a eugenia criada por Galton deve ser uma política adotada nas escolas brasileiras, pois foi defendida por Monteiro Lobato e praticada numa fazenda no Estado de São Paulo, onde 50 garotos órfãos, “na maioria negros”, foram escravizados com o objetivo de receber educação por intermédio do trabalho forçado, seguindo o ideário eugênico.

B

não há uma única globalização (ou modernização?), mas duas, que são ligadas e antagônicas: de um lado, o processo da escravização das populações conquistadas; de outro, o processo de descolonização ou da emancipação relativa dos povos dominados, que dá continuidade às ideias dos direitos humanos.

C

atualmente, há uma única globalização, a qual permite a expansão do conhecimento e da ideologia do pensamento único, necessário ao progresso da ciência e da tecnologia para promover o crescimento econômico, com a exclusão dos países pobres.

D

atualmente, a globalização é o resultado do desenvolvimento humano sustentável, a qual promove o relacionamento orgânico entre as universidades e o setor produtivo, produzindo a ruptura com o antagonismo e a ignorância recíproca entre essas esferas.

E

no processo de avanço da globalização, a educação superior precisa desenvolver currículos estreitamente orientados pelo parâmetro da empregabilidade, com foco nas competências e flexibilidade na formação correspondente às tendências do mercado.