Na utilização de aparelhos, a orientação do profissional é fundamental para atingir os objetivos dessa indicação terapêutica. Portanto, NÃO podemos afirmar que

  • A.

    o aparelho estabilizador de dedo pode ser ajustado para estabilizar uma ou mais articulações de um dedo na posição flexionada ou estendida.

  • B.

    no planejamento do tratamento e da adaptação de uma disfunção de um membro, o conhecimento das habilidades motoras mantidas pelo usuário, nos demais membros, não é considerado nesse processo.

  • C.

    a melhora do desempenho com a adaptação, está diretamente relacionada à redução da dor, do edema e da espasticidade.

  • D.

    quando o usuário mantém alguns movimentos espontâneos, mesmo padronizados, no membro afetado, implica em um bom prognóstico, devendo o terapeuta estar atento a excessos e fadigas.

  • E.

    o posicionamento do membro afetado deve ser acompanhado, diretamente, pelo terapeuta ocupacional, levando em conta as informações, a autonomia e as necessidades do usuário.