Joaquim tem setenta e dois anos de idade, é ex-tabagista, tem diagnóstico de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e atualmente faz uso de oxigenoterapia. Ele mora com a esposa, que tem a mesma idade que ele, em uma casa de dois pavimentos interligados por escada. Em sua última consulta com o pneumologista, Joaquim relatou sintomas de dispneia e informou que não conseguia mais realizar atividades cotidianas, devido a cansaço extremo. O médico o achou mais triste que nas últimas consultas e o encaminhou ao serviço de terapia ocupacional, para avaliação e acompanhamento.

Com base no caso clínico precedente, julgue os itens subsequentes.

Durante um treino para Joaquim melhorar a tolerância e a resistência às atividades diárias, fatores como frequência cardíaca, pressão arterial e presença de sintomas como dispneia excessiva, dor e náuseas devem ser atentamente monitorados pelo terapeuta ocupacional.
  • C. Certo
  • E. Errado