Língua Portuguesa Interpretação de Texto Reescrita de frases e parágrafos do texto

Texto CB1A1AAA


1 A palavra violência frequentemente nos remete a

crimes como assassinato, estupro, roubo e lesão corporal, ou

mesmo a guerras e terrorismo. Pensamos que violência e crime

4 violento são a mesma coisa e não levamos em conta que nem

toda violência é considerada crime.

A sociedade, para reafirmar seus valores e se manter,

7 pune as transgressões, com a intenção de que a punição

aplicada ao transgressor seja útil para que os demais indivíduos

não sigam o mau exemplo, tendo em vista as consequências.

10 Nesse caso, considera-se crime a transgressão de regras

socialmente preestabelecidas, que variam de acordo com a

sociedade e o contexto histórico.

13 Lançadas com o intuito de encontrar respostas para as

possíveis causas da violência, hipóteses clássicas na sociologia

do crime acabaram por defender a tese de associação entre o

16 aumento nos índices de criminalidade e a pobreza. Essa

associação sustenta a premissa de que o crime seja combatido

e punido com maior rigor e frequência nas classes

19 economicamente mais desfavorecidas, em contraposição à

tolerância e à impunidade de crimes cometidos tipicamente ou

ocasionalmente por indivíduos detentores de poder.

22 O mito da criminalidade associada à pobreza cria

estereótipos, marginaliza e criminaliza a pobreza — que, em si,

é uma violência. Rotula os que são tidos como pobres e faz

25 uma proporção extremamente grande da população ser

prejulgada por atos ilícitos praticados por uma minoria.

A violência nas cidades deve ser vista sob duas vias.

28 Um tipo de violência é a dos crimes praticados nas ruas,

principalmente nas grandes cidades, que pode atingir qualquer

pessoa. O segundo tipo é a violência praticada pela própria

31 cidade, que massacra os pobres, marginalizando e

criminalizando esses cidadãos. Enquanto se diz que os pobres

da cidade são violentos, a atenção da violência que eles sofrem

34 é invertida. A violência contra quem mora próximo de

condomínios de luxo e mansões fortificadas, sem ter acesso a

bens básicos para garantir razoáveis condições de vida, é

37 esquecida.


Geélison Ferreira da Silva. Considerações sobre

criminalidade: marginalização, medo e mitos no Brasil.

In: Revista Brasileira de Segurança Pública. ano 5, 8.ª ed.

São Paulo, fev. – mar./2011, p. 91-102 (com adaptações).


No que se refere aos sentidos e às propriedades linguísticas do texto CB1A1AAA, julgue os itens a seguir.

Os sentidos e a correção gramatical do texto seriam preservados caso o último período (l. 34 a 37) fosse assim reescrito: É esquecida a violência contra quem vive na vizinhança de condomínios de luxo e mansões fortificadas, mas não tem acesso a bens básicos para garantir razoáveis condições de vida.

  • C.

    Certo

  • E.

    Errado