Língua Portuguesa Morfossintaxe do período

“A violência está o cúmulo do absurdo. É geral, não é? É geral, não tem, não está distinguindo raça, cor, dinheiro, com dinheiro, sem dinheiro, tá de pessoa para pessoa, não interessa se eu te conheço ou se eu não te conheço. Me irritou na rua eu te dou um tiro”.

A fala da moradora da Rocinha mostra certas características distintas da variedade padrão de linguagem; a única característica que NÃO está comprovada pelo exemplo dado é:

  • A. segmentos desconexos: “não tem”;
  • B. formas reduzidas: “tá de pessoa para pessoa”;
  • C. explicações desnecessárias: “com dinheiro, sem dinheiro”;
  • D. mistura de tratamento: “se eu te conheço ou se eu não te conheço”;
  • E. erros gramaticais: “me irritou na rua”.