Questões de Concurso de Travessão - Língua Portuguesa

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão de Concurso - 1050588

Concurso

Questão 10

Nível

Mundo de mentira

Paulo Pestana

Tem muita gente que implica com mentira, esquecendo-se de que as melhores histórias do mundo nascem delas: algumas cabeludas, outras mais inocentes, sempre invenções da mente, fruto da criatividade — ou do aperto, dependendo da situação.

Ademais, se fosse tão ruim estaria na lista das pedras que Moisés recebeu aos pés do monte Sinai, entre as 10 coisas mais feias da humanidade, todas proibidas e que levam ao inferno; ficou de fora.

A mentira não está nem entre os pecados capitais, que aliás eram ofensas bem antes de Cristo nascer, formando um rol de virtudes avessas, para controlar os instintos básicos da patuleia. Eram leis. E é preciso lembrar também que ninguém colocou a mentira entre os pecados veniais; talvez, seja por isso que o mundo minta tanto, hoje em dia.

E tudo nasceu na forma mais poética possível, com os mitos — e não vamos falar de presidentes aqui — às lendas, narrativas fantásticas que serviam para educar ou entreter. Entre tantas notícias falsas, há muitas lendas que, inclusive, explicam por que fazemos tanta festa para o ano que começa.

Os japoneses, por exemplo, contam que um velhinho, na véspera do ano-novo, não conseguiu vender os chapéus que fabricava e colocou-os na cabeça de seis estátuas de pedra; chegou em casa coberto de neve e sem um tostão. No dia seguinte, recebeu comida farta e dinheiro das próprias estátuas, para mostrar que a bondade é sempre reconhecida e recompensada.

Os brasileiros vestem roupas brancas na passagem do ano, mas poucos sabem que esta é uma tradição recente, de pouco mais de 50 anos, e que veio do candomblé, mais precisamente da cultura yorubá, com os irúnmolés’s funfun — as divindades do branco. E atenção: para eles, o regente de 2019 é Ogum, o guerreiro, orixá associado às forças armadas, ao mesmo tempo impiedoso, impaciente e amável. Ogunhê!

Mas na minha profunda ignorância eu não conhecia a lenda da Noite de São Silvestre, que marca a passagem do ano. E assim foi-me contada pelo Doutor João, culto advogado, entre suaves goles de vinho — um Quinta do Crasto Douro (sorry, periferia, diria o Ibrahim Sued).

Disse-me ele: ao ver a Virgem Maria desolada contemplando o Oceano Atlântico, São Silvestre se aproximou para consolá-la, quando ela disse que estava com saudades da Atlântida, o reino submerso por Deus, em resposta aos desafios e à soberba de seu soberano e dos pecados de seu povo.

As lágrimas da Virgem Maria — transformadas em pérolas — caíram no oceano; e uma delas deu origem à Ilha da Madeira — chamada Pérola do Atlântico, na modesta visão dos locais — ao mesmo tempo em que surgiram misteriosas luzes no céu, que se repetiriam por anos a fio; e é por isso que festejamos a chegada do ano-novo com fogos de artifício.

Aliás, agora inventaram fogo de artifício sem barulho para não incomodar os cachorros. A próxima jogada politicamente correta será lançar fogos sem luz para não perturbar as corujas buraqueiras. E isso está longe de ser lenda: é só um mundo mais chato.


Disponível em: <http://df.divirtasemais.com.br/app/noticia/mais-leitor/2018/12/28/noticia-mais-leitor,160970/cronica-de-paulo-pestana.shtml>. Acesso em: 18 fev. 2019.

Sobre os sentidos e os aspectos linguísticos do texto, é correto afirmar que

  • A.

    há uma crítica explícita do autor em relação à ingenuidade do povo, que acredita em mentiras como se fossem verdades.

  • B.

    o tom de ironia não pode ser vislumbrado na crônica.

  • C.

    a utilização da conjunção “E”, no início de diversas frases do texto, exerce função gramatical, sem interferir nos aspectos discursivos e estilísticos do texto.

  • D.

    no trecho “E tudo nasceu na forma mais poética possível, com os mitos — e não vamos falar de presidentes aqui — às lendas [...]”, os travessões foram utilizados para demarcar uma oração que contém uma locução verbal predicando um objeto indireto.

  • E.

    não há referências, sequer implícitas, ao momento político vivido no Brasil na atualidade.

Questão de Concurso - 1122403

Concurso TJ MA Técnico Judiciário - Apoio Técnico Administrativo 2019

Questão 1

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Médio

No 2o parágrafo, a informação introduzida pelo travessão corresponde a

  • A.

    um apanhado das produções cinematográficas que se destacaram por serem inovadoras.

  • B.

    uma ressalva sobre os aspectos positivos dos avanços técnicos da linguagem do cinema.

  • C.

    uma síntese das consequências da revolução ocorrida no cinema recentemente.

  • D.

    uma explicação das técnicas da maior parte das produções cinematográficas atuais.

  • E.

    uma exemplificação das tecnologias que terão impacto sobre o futuro dos filmes.

Questão de Concurso - 1123094

Concurso Técnico Municipal - Suporte Administrativo - Área Administração Básica/ Secretariado 2018

Questão 18

Centro de Extensão, Treinamento e Aperfeiçoamento Profissional Ltda (CETAP)

Nível Médio

Leia o texto com atenção e responda as questões de acordo com os comandos.

"que eles permaneçam com a criança - que não são mais - dentro deles( ... )". Os travessões foram usados no excerto:

  • A. para colocar em evidência uma frase.
  • B. para separar oração apositiva.
  • C. para indicar mudança do interlocutor.
  • D. para indicar uma citação.

Questão de Concurso - 1067674

Concurso SEMEF - Manaus Assistente Técnico de Tecnologia da Informação da Fazenda Municipal - Área Programador 2019

Questão 13

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Médio

Atente ao que se afirma abaixo a respeito da pontuação do texto.

I. O travessão que antecede o segmento não o que desejamos que os outros pensem que somos (5o parágrafo) pode ser substituído por vírgula, sem prejuízo da correção.

II. Sem prejuízo da correção e do sentido, uma vírgula pode ser inserida imediatamente após o termo “expectativas” no segmento: Não existiam expectativas de que uma porção significativa da vida transcorresse distante dos olhares alheios (1o parágrafo).

III. O travessão que antecede o segmento a transformação de nossos dados pessoais em mercadoria por gigantes da tecnologia (4o parágrafo) pode ser substituído por dois-pontos, sem prejuízo da correção.

Está correto o que se afirma APENAS em:

  • A. I.
  • B. I e III.
  • C. I e II.
  • D. III.
  • E. II e III.

Questão de Concurso - 1207980

Concurso

Questão 11

Nível


Com relação ao texto acima, julgue os itens de 10 a 15.

O mesmo emprego enfático facultativo do travessão diante de “e nada” (l. 4) poderia ser também aplicado antes de “e olhou” (l. 4-5), ou seja, seria correto o uso enfático de travessão também diante de “e olhou” (l. 4-5).

  • C. Certo
  • E. Errado

Questão de Concurso - 1209301

Concurso

Questão 18

Nível


Considerando aspectos interpretativos e linguísticos do texto, julgue os itens de 16 a 20.

O emprego de travessões na linha 2 valida a inferência de que nem todas as diferenças sociais de sexo eram favoráveis aos homens na formação patriarcal brasileira.

  • C. Certo
  • E. Errado

Questão de Concurso - 962189

Concurso ABIN Agente de Inteligência - Língua Espanhola 2018

Questão 7

Centro de Seleção e de Promoção de Eventos UnB (CESPE/CEBRASPE)

Nível Médio

Julgue os itens seguintes, relativos às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB3A1AAA.

Os travessões que delimitam o trecho “comunicações, transportes, tecnologias de informação” (l. 15 e 16) isolam uma oração interferente, tendo sido empregados para dar-lhe ênfase.
  • C. Certo
  • E. Errado

Questão de Concurso - 1054547

Concurso SMS RJ Auxiliar de Enfermagem 2019

Questão 10

Prefeitura do Rio de Janeiro - RJ

Nível Fundamental

“É um problema que afeta gente de todas as idades – a prevalência entre os adultos aumentou 60% no país de 2006 a 2016! – e começa cada vez mais cedo.” (1º parágrafo) Nesta frase, os travessões são empregados para:
  • A. trazer uma informação que ilustra o que é dito
  • B. indicar a fala de um personagem
  • C. isolar uma oração justaposta
  • D. introduzir uma citação

Questão de Concurso - 1090036

Concurso Assistente Social 2014

Questão 9

Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível Superior

No trecho do 5º parágrafo: “essa massa (...) deifica os jogadores e esquece ? e por isso não perdoa – que deuses às vezes tropeçam nos próprios pés, na angústia e no medo”, o uso do travessão duplo tem a função de:

  • A.

    destacar a informação mais importante do segmento;

  • B.

    indicar uma mudança de entonação, uma pausa mais forte;

  • C.

    intercalar uma explicação essencial ao sentido do trecho;

  • D.

    introduzir discurso direto, indicando mudança de interlocutor;

  • E.

    isolar comentário aposto, indicativo de uma opinião da autora.

Questão de Concurso - 1122535

Concurso

Questão 3

Nível

TEXTO I

O último paradoxo da vida moderna: por que ficamos presos ao celular, mas odiamos falar por telefone?

Não deixe uma ligação rápida arruinar uma longa e confusa série de mensagens de WhatsApp

SILVIA LÓPEZ

Para iniciar um texto, Hemingway dizia a si mesmo: “Escreva a frase mais verdadeira que você conhece”. Neste caso, seria: a psicóloga Cristina Pérez, do Siquia, respondeu por meio de mensagens de áudio às perguntas que lhe enviamos por email. Essa curiosidade metajornalística não tem importância, não altera a qualidade de suas respostas, só ilustra a variedade e fluidez de opções com as quais podemos nos comunicar hoje. Recebemos um email? Respondemos com um áudio. Chegou um áudio de WhatsApp? Respondemos com um texto. Recebemos um telefonema? Não respondemos. Esperamos. Esperamos. E escrevemos: “Você me ligou? Não posso falar, é melhor me escrever”. O paradoxo do grande vício do século XXI é que estamos presos ao celular, mas temos fobia das ligações telefônicas.

A ligação telefônica ? que, até não muito tempo atrás, esperávamos com alegria ou tolerávamos com resignação, mas nunca evitávamos com uma rejeição universal ? se tornou uma presença intrusiva e incômoda, perturbadora e tirânica, mas por quê? “Uma das razões é que quando recebemos uma ligação, ela interrompe algo que estávamos fazendo, ou simplesmente não temos vontade de falar nesse momento”, explica a psicóloga Cristina Pérez. “Por outro lado, também exige de nós uma resposta imediata, ao contrário do que ocorre na comunicação escrita, que nos permite pensar bem no que queremos dizer. E a terceira razão seria o fato de não poder saber de antemão qual será a duração do telefonema”, acrescenta.

Adaptado de: https://brasil.elpais.com/brasil/2019/06/01/tecnologia/ 1559392400_168692.html. Acesso em: 25 jun. 2019

As questões de 1 a 10 se referem ao texto I.

No segundo parágrafo do texto, a informação entre travessões

  • A.

    descreve três atitudes negativas em relação à ligação telefônica.

  • B.

    é constituída por três ações que se excluem mutuamente.

  • C.

    é constituída por verbos que não requerem um complemento.

  • D.

    restringe o sentido do termo “ligação telefônica”.

  • E.

    completa o sentido do termo “ligação telefônica”.