Pedagogia Educação Infantil Funções do educador e das equipes de apoio

Imagine a seguinte situação

Você analisou as produções dos seus alunos e concluiu que é necessário propor que produzam em duplas, pois vários estudos vêm mostrando que organizados dessa forma os alunos avançam mais rapidamente, em especial porque as informações circulam melhor. Sendo assim, resolveu planejar as duplas que deverão escrever uma lista de alimentos para o piquenique que farão na Semana da Criança. Segue uma amostra dos diferentes conhecimentos sobre a escrita de seu grupo. Nela, as crianças escreveram uma pequena lista de brinquedos: bicicleta, carrinho, pipa, pião.

A partir da análise dessas escritas, assinale a única alternativa que apresenta parcerias potencialmente produtivas e com justificativas adequadas.

  • A.

    Aluno C com aluno D, pois o C, com suas escolhas, pode oferecer elementos para o D pensar em quais letras usar, ou seja, que não é qualquer letra que serve para escrever qualquer sílaba. Aluno B com aluno E, pois, por ser alfabético e saber tudo sobre o sistema de escrita, E pode ensinar o que o aluno B ainda não sabe: que o simples encadeamento de letras quaisquer não é suficiente para que algo esteja escrito. Aluno A com aluno C, pois o A, com suas escolhas, pode favorecer a reflexão de C sobre alguns aspectos tanto quantitativos como qualitativos da sua própria produção.

  • B.

    Aluno B com aluno D, pois B, por conhecer mais letras, pode ajudar D a ampliar seu conhecimento de letras e, assim, conseguir escrever mais palavras. Aluno C com aluno E, pois o aluno E tem todas as informações sobre o sistema de escrita e, com suas escolhas, pode oferecer ao aluno C boas referências sobre quais e quantas letras usar. Aluno A com aluno D, pois o aluno A tem muitas informações sobre o sistema de escrita e pode ensinar D a colocar as letras que faltam em suas escritas.

  • C.

    Aluno E com aluno A, pois E pode oferecer, com suas escolhas, a A uma reflexão sobre quantas letras usar. Aluno C com aluno A, pois A pode ajudar C a aprender sobre quais letras usar. Aluno E com aluno C, pois E pode ajudar C a compreender quais letras usar nas suas produções escritas.

  • D.

    Aluno B com o aluno C, pois C poderia oferecer, com suas escolhas, referências para o aluno B sobre o que ele ainda não sabe: que o simples encadeamento de letras quaisquer não é suficiente para que algo esteja escrito. Aluno B com aluno E, pois, por ser alfabético e saber tudo sobre o sistema de escrita, E pode ensinar o que o aluno B ainda não sabe: que o simples encadeamento de letras quaisquer não é suficiente para que algo esteja escrito. Aluno C com aluno D, pois o C, com suas escolhas, pode oferecer elementos para o D pensar em quais letras usar, ou seja, que não é qualquer letra que serve para escrever qualquer sílaba.

  • E.

    Aluno B com o aluno C, pois C poderia oferecer, com suas escolhas, referências para o aluno B sobre o que ele ainda não sabe: que o simples encadeamento de letras quaisquer não é suficiente para que algo esteja escrito. Aluno A com aluno E, pois embora ambos saibam bastante sobre o sistema de escrita em português, a produção de E pode favorecer a reflexão de A sobre alguns aspectos tanto quantitativos como qualitativos da sua própria produção. Aluno C com o aluno D, pois o C, com suas escolhas, pode oferecer elementos para o D pensar em quais letras usar, ou seja, que não é qualquer letra que serve para escrever qualquer sílaba.