Questões de Concurso de Currículo, interdisciplinaridade, transversalidade e a transdisciplinaridade - Pedagogia

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão de Concurso - 1177840

Concurso SEC Coordenador Pedagógico 2017

Questão 38

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Uma estratégia adequada para a definição do foco de uma proposta interdisciplinar é

  • A.

    o estudo do meio, problematizador dos conteúdos necessários para conhecer o lugar vivido pelos grupos humanos.

  • B.

    selecionar um tema, ao acaso, fazendo dele o centro dos estudos.

  • C.

    definir o ponto de partida das disciplinas que entrarão num curso natural de debates.

  • D.

    afirmar o estudante como foco dessa metodologia de ensino e de seus desdobramentos.

  • E.

    observar visões de totalidade explicativa do mundo, desconsiderando conhecimentos disciplinares.

Questão de Concurso - 1139300

Concurso SAEB Coordenador Pedagógico 2017

Questão 38

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Uma estratégia adequada para a definição do foco de uma proposta interdisciplinar é

  • A.

    o estudo do meio, problematizador dos conteúdos necessários para conhecer o lugar vivido pelos grupos humanos.

  • B.

    selecionar um tema, ao acaso, fazendo dele o centro dos estudos.

  • C.

    definir o ponto de partida das disciplinas que entrarão num curso natural de debates.

  • D.

    afirmar o estudante como foco dessa metodologia de ensino e de seus desdobramentos.

  • E.

    observar visões de totalidade explicativa do mundo, desconsiderando conhecimentos disciplinares.

Questão de Concurso - 1146465

Concurso IFPE Pedagogo 2019

Questão 11

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnlogia Pernambuco (IFPE)

Nível Superior

Leia o TEXTO 5 para responder às questões de 11 a 13. 


TEXTO 5 




O lema “aprender a aprender”, tão difundido na atualidade, [...] deslocando o eixo do processo educativo do aspecto lógico para o psicológico; dos conteúdos para os métodos; do professor para o aluno; do esforço para o interesse; da disciplina para a espontaneidade, configurou-se uma teoria pedagógica em que o mais importante não é ensinar e nem mesmo aprender algo, isto é, assimilar determinados conhecimentos. O importante é aprender a aprender, isto é, aprender a estudar, a buscar conhecimentos, a lidar com situações novas. E o papel do professor deixa de ser daquele que ensina para ser o de auxiliar o aluno em seu próprio processo de aprendizagem. [...] Diferentemente, na situação atual, o “aprender a aprender” liga-se à necessidade de constante atualização exigida pela necessidade de ampliar a esfera da empregabilidade. Isso fica claro, por exemplo, no texto de um autor português, Vitor da Fonseca, significativamente intitulado “Aprender a aprender: a educabilidade cognitiva”, publicado em 1998. Para ele a mundialização da economia exige a gestão do imprevisível. Não se trata mais de contar com um emprego seguro; tanto os empresários como os trabalhadores “devem cada vez mais investir no desenvolvimento do seu potencial de adaptabilidade e de empregabilidade” (FOSENCA, 1998, p. 307) [...]. Segundo o mesmo autor, o segredo do sucesso estaria na “capacidade de adaptação e de aprender a aprender e a reaprender”, pois os postos de trabalho se vêm reduzindo tanto na agricultura como na indústria, o que faz com que “os postos de emprego que restam vão ser mais disputados”, devendo ser ocupados pelos trabalhadores mais bem preparados (idem, ibidem). Segundo esse autor, a adaptação à sociedade atual exige novos tipos de raciocínio, o desenvolvimento da capacidade de comunicação e a recuperação de funções cognitivas deterioradas pelo trabalho de tipo puramente mecânico, buscando atingir níveis flexíveis de operação simbólica. Portanto, a adaptação à sociedade cognitiva “exige abandonar a segurança do conhecido, do familiar e do habitual e voltar-se para uma aventura do inédito e do imprevisível” (idem, p.320). E, para atingir esse objetivo, o papel central da educação e da escola é definido como “consubstanciando uma maior capacidade de aprender a aprender” (idem, p. 90). 





SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011. Adaptad

O TEXTO 5 se refere ao paradigma da educação brasileira que leva em consideração a abordagem

  • A.

    tecnicista.

  • B.

    reducionista e racional.

  • C.

    tradicional e transdisciplinar.

  • D.

    hegemônica.

  • E.

    sistêmica e transdisciplinar.

Questão de Concurso - 1107895

Concurso

Questão 46

Nível

Texto: Deveríamos viver a vida ou capturá-la?

Um artigo recente no New York Times explora a onda explosiva de gravações de eventos feitas em smartphones, dos mais significativos aos mais triviais.

Todos são, ou querem ser, a estrela de sua própria vida, e a moda é capturar qualquer momento considerado significativo. Microestrelas do YouTube têm vídeos de selfies que se tornam virais em questão de horas, como o mais recente do jornalista Scott Welsh, gravado durante um voo da companhia aérea Jetblue Airways, em que as máscaras de oxigênio baixaram devido a um defeito mecânico. Se você se depara com a morte, por que não compartilhar seus momentos derradeiros com aqueles que você deixou?

Há um aspecto disso tudo que faz sentido; todos somos importantes, nossas vidas são importantes, e queremos que elas sejam vistas, compartilhadas, apreciadas. Mas há outro aspecto que leva a um desligamento com o momento.

Estarão as pessoas esquecendo de estar presentes no momento, espalhando seu foco ao ver a vida através de uma tela? Você deveria estar vivendo a sua vida ou vivendo-a para que os outros a vejam?

Deve-se dizer, entretanto, que isso tudo começou antes da revolução dos celulares. Algo ocorreu entre o diário privado que mantínhamos chaveado em uma gaveta e a câmera de vídeo portátil. Por exemplo, em junho de 2001, levei um grupo de alunos da universidade de Dartmouth em uma viagem para ver o eclipse total do Sol na África. A bordo havia um grupo de “tietes de eclipse”, pessoas que viajam o mundo atrás de eclipses. Quando você vir um, vai entender o porquê. Um eclipse solar total é uma experiência altamente emocionante que desperta uma conexão primitiva com a natureza, nos unindo a algo maior e realmente incrível a respeito do mundo. É algo que necessita um comprometimento total e foco de todos os sentidos. Ainda assim, ao se aproximar o momento de totalidade, o convés do navio era um mar de câmeras e tripés, enquanto dezenas de pessoas se preparavam para fotografar e filmar o evento de quatro minutos.

Em vez de se envolverem totalmente com esse espetacular fenômeno da natureza, as pessoas preferiram olhar para isso através de suas câmeras. Eu fiquei chocado. Havia fotógrafos profissionais a bordo e eles iam vender/dar as fotos que tirassem. Mas as pessoas queriam as suas fotos e vídeos de qualquer forma, mesmo se não fossem tão bons. Eu fui a outros dois eclipses, e é sempre a mesma coisa. Sem um envolvimento pessoal total. O dispositivo é o olho através do qual eles escolheram ver a realidade.

O que os celulares e as redes sociais fizeram foi tornar o arquivamento e o compartilhamento de imagens incrivelmente fáceis e eficientes. O alcance é muito mais amplo, e a gratificação (quantos “curtir” a foto ou o vídeo recebe) é quantitativa. As vidas se tornaram um evento social compartilhado.

Agora, há um aspecto que é bom, é claro. Celebramos momentos significativos e queremos compartilhar com aqueles com quem nos importamos. O problema começa quando paramos de participar completamente do momento porque temos essa necessidade de registrá-lo. O apresentador Conan O’Brien, por exemplo, reclamou que ele não pode mais nem ver o rosto das pessoas quando se apresenta. “Tudo que vejo é um mar de iPads”, ele disse. Algumas celebridades estão proibindo celulares pessoais durante os seus casamentos. Nick Denton, diretor da Gawker, disse a seus convidados: “Vocês podem dar atenção à sua presença virtual – e seus seguidores no Twitter e no Instagram – amanhã”.

Nisso podemos incluir palestrar usando o PowerPoint ou o Keynote, como posso afirmar por experiência própria. Assim que uma tela iluminada aparece, os olhares se voltam a ela e o palestrante se torna uma voz vazia. Nenhum envolvimento direto é então possível. É por isso que eu tendo a usar essas tecnologias minimamente, para mostrar imagens e gráficos ou citações significativas.

Marcelo Gleiser
Disponível em: https://www.fronteiras.com/artigos/marcelo-gleiser-deveriamos-viver-a-vida-oucaptura- la-

Um dos grandes desafios que os docentes enfrentam na emergência do novo século diz respeito ao diálogo entre os diversos campos de conhecimento que habitam o cotidiano escolar, materializados em disciplinas curriculares. Nesse sentido, a proposta de integração curricular que se ancora na lógica das disciplinas acadêmicas buscando as inter-relações entre elas, chama-se:

  • A. interdisciplinaridade
  • B. multidisciplinaridade
  • C. pluridisciplinaridade
  • D. transdisciplinaridade

Questão de Concurso - 1107719

Concurso SME Professor de Ensino Fundamental - Área Ciências 2019

Questão 46

Subsecretaria de Serviços Compartilhados (Subsecretaria de Serviços Compartilhados)

Nível Superior

Um dos grandes desafios que os docentes enfrentam na emergência do novo século diz respeito ao diálogo entre os diversos campos de conhecimento que habitam o cotidiano escolar, materializados em disciplinas curriculares. Nesse sentido, a proposta de integração curricular que se ancora na lógica das disciplinas acadêmicas buscando as inter-relações entre elas, chama-se:

  • A. interdisciplinaridade
  • B. multidisciplinaridade
  • C. pluridisciplinaridade
  • D. transdisciplinaridade

Questão de Concurso - 1105271

Concurso SECRIANÇA Pedagogo 2015

Questão 54

Fundação Universa (FUNIVERSA)

Nível Superior

Assinale a alternativa que apresenta o termo correspondente à definição a seguir: caracteriza-se como nova concepção de divisão do saber e visa à interdependência, à interação e à comunicação existentes entre as áreas do conhecimento. Há a interação e o compartilhamento de ideias, opiniões e explicações.

  • A.

    multidisciplinaridade

  • B.

    interdisciplinaridade

  • C.

    contextualização

  • D.

    transdisciplinaridade

  • E.

    pluridisciplinaridade

Questão de Concurso - 1087185

Concurso SEC Professor Docente I - Artes 2013

Questão 25

CONSULTEC

Nível Superior

O currículo, enquanto instrumentação da cidadania democrática, deve contemplar conteúdos e estratégias de aprendizagem que capacitem o ser humano para a realização de atividades em três domínios da ação humana, visando à integração de homens e mulheres no tríplice universo das relações. 

Esses domínios são

  • 1.

    a revolução tecnológica, a sociabilidade humana e a globalização econômica.

  • 2.

    a vida em sociedade, a atividade produtiva e a experiência subjetiva.

  • 3.

    os processos de produção, a exclusão social e a transferência de conhecimentos.

  • 4.

    o crescimento econômico, a estabilidade da organização política e o ambiente educacional.

  • 5.

    a diminuição de oportunidades de emprego, a organização política e o progresso científico e tecnológico.

Questão de Concurso - 1085072

Concurso Especialista da Educação 2012

Questão 15

Consultoria e Planejamento em Administração Pública LTDA (CONSULPLAN)

Nível Superior

Os currículos integrados, que não estabelecem uma fronteira nítida entre as disciplinas, ou seja, aqueles que buscam trabalhar de forma interdisciplinar, são estimulados e defendidos porque, EXCETO:

  • A.

    Permitem o trabalho com conteúdos culturais relevantes, englobando a discussão de questões que não poderiam ser trabalhadas no limite de uma única disciplina.

  • B.

    Privilegiam o ensino, com base em questões reais e práticas, que estimulam o interesse e a curiosidade dos alunos e a formulação de respostas criativas e inovadoras.

  • C.

    Favorecem o trabalho coletivo entre os professores, eliminando as hierarquias entre as disciplinas e facilitando a troca de experiências entre os docentes.

  • D.

    São elaborados com base na seleção de um conjunto de conteúdos, organizados de forma justaposta, favorecendo a fragmentação dos saberes escolares.

  • E.

    Sua forma de organização tem similaridade com a maneira como se enfrentam/solucionam problemas reais de ordem pessoal e profissional.

Questão de Concurso - 1086758

Concurso Professor de Ciências 2012

Questão 15

Consultoria e Planejamento em Administração Pública LTDA (CONSULPLAN)

Nível Superior

Os currículos integrados, que não estabelecem uma fronteira nítida entre as disciplinas, ou seja, aqueles que buscam trabalhar de forma interdisciplinar, são estimulados e defendidos porque, EXCETO:


  • A.

    Permitem o trabalho com conteúdos culturais relevantes, englobando a discussão de questões que não poderiam ser trabalhadas no limite de uma única disciplina.

  • B.

    Privilegiam o ensino, com base em questões reais e práticas, que estimulam o interesse e a curiosidade dos alunos e a formulação de respostas criativas e inovadoras.

  • C.

    Favorecem o trabalho coletivo entre os professores, eliminando as hierarquias entre as disciplinas e facilitando a troca de experiências entre os docentes.

  • D.

    São elaborados com base na seleção de um conjunto de conteúdos, organizados de forma justaposta, favorecendo a fragmentação dos saberes escolares.

  • E.

    Sua forma de organização tem similaridade com a maneira como se enfrentam/solucionam problemas reais de ordem pessoal e profissional.

Questão de Concurso - 1088348

Concurso Professor de História 2011

Questão 25

Centro de Produção da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CEPERJ)

Nível Superior

No artigo “Projeto político-pedagógico da escola: fundamentos para a sua realização”, Gadotti analisa alguns eixos norteadores que caracterizam um projeto educacional comprometido com a construção de uma escola cidadã, como, por exemplo, a educação multicultural e comunitária, a democratização das relações de poder dentro da escola, a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade. Nesse contexto, o autor define a transdisciplinaridade como:

  • A.

    o aumento do número de disciplinas, evitando a duplicidade de informações

  • B.

    o incentivo à especialização de professores nas diversas disciplinas

  • C.

    o reforço das especificidades de cada uma das diferentes disciplinas

  • D. a superação das fronteiras existentes entre as diferentes disciplinas
  • E.

    a diminuição do número do disciplinas e a utilização de professores generalistas