Pedagogia História da Educação Brasileira

“É preciso que, desde o começo do processo, vá ficando cada vez mais claro que, embora diferentes entre si, quem forma se forma e reforma ao formar, e quem é formado forma-se e forma ao ser formado. É nesse sentido que ensinar não é transferir conhecimentos, conteúdo, nem formar é a ação pela qual um sujeito criador dá forma, estilo ou alma a um corpo indeciso e acomodado. Não há docência sem discência. As duas se explicam, e seus sujeitos, apesar das diferenças que os conotam, não se reduzem à condição de objeto um do outro.”

Essa afirmação de Paulo Freire, em seu livro Pedagogia da Autonomia, tem a pretensão de apresentar algumas ideias do autor, entre as quais NÃO se encontra:

  • A. Ensinar exige o necessário grau de autoritarismo em face do poder que deve exercer o educador frente ao educando.
  • B. Ensinar inexiste sem aprender e vice-versa, e foi aprendendo socialmente que, historicamente, mulheres e homens descobriram que era possível ensinar.
  • C. Foi socialmente aprendendo que, ao longo dos tempos, mulheres e homens perceberam que era possível, depois preciso, trabalhar maneiras, caminhos, métodos de ensinar.
  • D. Aprender precedeu ensinar, ou em outras palavras, ensinar se diluía na experiência de aprender. Assim, inexiste qualquer validade no ensino que não resulta em aprendizagem.