Questões de Concursos Agência de Defesa Agropecuária do Pará - ADEPARÁ - PA (ADEPARÁ/PA)

Ver página ADEPARÁ/PA Navegar questão a questão

Questão de Concurso - 1199710

Concurso ADEPARÁ Fiscal Estadual Agropecuário - Área Agronomia 2018

Questão 1

Instituto AOCP

Nível Superior

TEXTO 1

A vida é muito curta para ser pequena

Por Mario Sergio Cortella

Cuidado, a vida é muito curta para ser pequena. É preciso engrandecê-la. E, para isso, é preciso tomar cuidado com duas coisas: a primeira é que tem muita gente que cuida demais do urgente e deixa de lado o importante. Cuida da carreira, do dinheiro, do patrimônio, mas deixa o importante de lado. Depois não dá tempo.
A segunda grande questão é gente que se preocupa muito com o fundamental e deixa o essencial de lado. O essencial é tudo aquilo que não pode não ser: amizade, fraternidade, solidariedade, sexualidade, religiosidade, lealdade, integridade, liberdade, felicidade. Isso é essencial. Fundamental é tudo aquilo que te ajuda a chegar ao essencial. Fundamental é a tua ferramenta, como uma escada.
Uma escada é algo que me ajuda a chegar a algum lugar. Ninguém tem uma escada para ficar nela. Dinheiro não é essencial. Dinheiro é fundamental. Sem ele, você tem problema, mas ele, em si, não resolve. Emprego é fundamental, carreira é fundamental. O essencial é o que não pode não ser. Essencial é aquilo que faz com que a vida não se apequene. Que faz com que a gente seja capaz de transbordar. Repartir vida. Repartir o essencial, a amizade, a amorosidade, a fraternidade, a lealdade. Repartir a capacidade de ter esperança e, para isso, ter coragem. Coragem não é a ausência de medo.
Coragem é a capacidade de enfrentar o medo. O medo, assim como a dor, é um mecanismo de proteção que a natureza coloca para nós. Se você e eu não tivermos medo nem dor, ficamos muito vulneráveis. Porque a dor é um alerta e a dor nos prepara. É preciso coragem para que a nossa obra não se apequene. E, para isso, precisamos ter esperança.
E, como dizia o grande Paulo Freire, “tem de ser esperança do verbo esperançar”. Tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. “Ah, eu espero que dê certo, espero que resolva, espero que funcione.” Isso não é esperança. Esperançar é ir atrás, é se juntar, é não desistir. Esperançar é achar, de fato, que a vida é muito curta para ser pequena. E precisamos pensar se estamos nos dedicando ao importante em vez de ao urgente. Tem gente que diz: “Ah, mas eu não tenho tempo”. Atenção: tempo é uma questão de prioridade, de escolha.
Quando eu digo que não tenho tempo para isso, estou dizendo que isso não é importante para mim. Cuidado, você já viu infartado que não tem tempo? Se ele sobreviver, ele arruma um tempo. O médico dizia “você não pode fazer isso, tem de andar todos os dias”. Se ele infartar e sobreviver, no outro dia você vai vê-lo, às 6 horas da manhã, andando. Se ele tinha tempo, que ele teve de arrumar agora, por que não fez isso antes? Você tem tempo? Se não tem, crie. Talvez precisemos rever as nossas prioridades. Será que estamos cuidando do urgente e deixando o importante de lado? Será que não estamos atrás do fundamental, em vez de ir em busca do essencial? E assim, contribuir com meu verso!

Disponível em: < https://www.asomadetodosafetos.com/2016/07/a -vida- e-muito-curta-para-ser-pequena-mario-sergio- cor.html >. Acesso em: 20 set. 2018.

De acordo com o texto 1, assinale a alternativa correta.

  • A.

    Não é preciso se preocupar com a carreira e o dinheiro, pois são coisas supérfluas.

  • B.

    As pessoas se preocupam muito com a carreira e o dinheiro, porém deveriam dar mais atenção às amizades, à lealdade, à solidariedade, que são coisas essenciais.

  • C.

    Só existe um sentido para a palavra esperança.

  • D.

    Coragem é não ter medo.

  • E.

    Falta de tempo é um impedimento plausível para não ver alguém importante.

Questão de Concurso - 1199712

Concurso ADEPARÁ Fiscal Estadual Agropecuário - Área Agronomia 2018

Questão 2

Instituto AOCP

Nível Superior

TEXTO 1

A vida é muito curta para ser pequena

Por Mario Sergio Cortella

Cuidado, a vida é muito curta para ser pequena. É preciso engrandecê-la. E, para isso, é preciso tomar cuidado com duas coisas: a primeira é que tem muita gente que cuida demais do urgente e deixa de lado o importante. Cuida da carreira, do dinheiro, do patrimônio, mas deixa o importante de lado. Depois não dá tempo.
A segunda grande questão é gente que se preocupa muito com o fundamental e deixa o essencial de lado. O essencial é tudo aquilo que não pode não ser: amizade, fraternidade, solidariedade, sexualidade, religiosidade, lealdade, integridade, liberdade, felicidade. Isso é essencial. Fundamental é tudo aquilo que te ajuda a chegar ao essencial. Fundamental é a tua ferramenta, como uma escada.
Uma escada é algo que me ajuda a chegar a algum lugar. Ninguém tem uma escada para ficar nela. Dinheiro não é essencial. Dinheiro é fundamental. Sem ele, você tem problema, mas ele, em si, não resolve. Emprego é fundamental, carreira é fundamental. O essencial é o que não pode não ser. Essencial é aquilo que faz com que a vida não se apequene. Que faz com que a gente seja capaz de transbordar. Repartir vida. Repartir o essencial, a amizade, a amorosidade, a fraternidade, a lealdade. Repartir a capacidade de ter esperança e, para isso, ter coragem. Coragem não é a ausência de medo.
Coragem é a capacidade de enfrentar o medo. O medo, assim como a dor, é um mecanismo de proteção que a natureza coloca para nós. Se você e eu não tivermos medo nem dor, ficamos muito vulneráveis. Porque a dor é um alerta e a dor nos prepara. É preciso coragem para que a nossa obra não se apequene. E, para isso, precisamos ter esperança.
E, como dizia o grande Paulo Freire, “tem de ser esperança do verbo esperançar”. Tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. “Ah, eu espero que dê certo, espero que resolva, espero que funcione.” Isso não é esperança. Esperançar é ir atrás, é se juntar, é não desistir. Esperançar é achar, de fato, que a vida é muito curta para ser pequena. E precisamos pensar se estamos nos dedicando ao importante em vez de ao urgente. Tem gente que diz: “Ah, mas eu não tenho tempo”. Atenção: tempo é uma questão de prioridade, de escolha.
Quando eu digo que não tenho tempo para isso, estou dizendo que isso não é importante para mim. Cuidado, você já viu infartado que não tem tempo? Se ele sobreviver, ele arruma um tempo. O médico dizia “você não pode fazer isso, tem de andar todos os dias”. Se ele infartar e sobreviver, no outro dia você vai vê-lo, às 6 horas da manhã, andando. Se ele tinha tempo, que ele teve de arrumar agora, por que não fez isso antes? Você tem tempo? Se não tem, crie. Talvez precisemos rever as nossas prioridades. Será que estamos cuidando do urgente e deixando o importante de lado? Será que não estamos atrás do fundamental, em vez de ir em busca do essencial? E assim, contribuir com meu verso!

Disponível em: < https://www.asomadetodosafetos.com/2016/07/a -vida- e-muito-curta-para-ser-pequena-mario-sergio- cor.html >. Acesso em: 20 set. 2018.

Sobre a função dos vocábulos “que” e “se”, assinale a alternativa correta.

  • A.

    Em “O medo, assim como a dor, é um mecanismo de proteção que a natureza coloca para nós.”, o termo destacado funciona como uma conjunção subordinativa integrante.

  • B.

    Em “Se não tem, crie.”, a palavra destacada tem a função de partícula apassivadora.

  • C.

    Em “[...] tem muita gente que cuida demais do urgente e deixa de lado o importante.”, o vocábulo em destaque é um pronome relativo.

  • D.

    Em “[...] eu espero que dê certo [...]”, o termo destacado é um pronome relativo.

  • E.

    Em “O essencial é o que não pode não ser [...]”, a palavra em destaque é uma conjunção subordinativa integrante.

Questão de Concurso - 1199719

Concurso ADEPARÁ Fiscal Estadual Agropecuário - Área Agronomia 2018

Questão 3

Instituto AOCP

Nível Superior

TEXTO 1

A vida é muito curta para ser pequena

Por Mario Sergio Cortella

Cuidado, a vida é muito curta para ser pequena. É preciso engrandecê-la. E, para isso, é preciso tomar cuidado com duas coisas: a primeira é que tem muita gente que cuida demais do urgente e deixa de lado o importante. Cuida da carreira, do dinheiro, do patrimônio, mas deixa o importante de lado. Depois não dá tempo.
A segunda grande questão é gente que se preocupa muito com o fundamental e deixa o essencial de lado. O essencial é tudo aquilo que não pode não ser: amizade, fraternidade, solidariedade, sexualidade, religiosidade, lealdade, integridade, liberdade, felicidade. Isso é essencial. Fundamental é tudo aquilo que te ajuda a chegar ao essencial. Fundamental é a tua ferramenta, como uma escada.
Uma escada é algo que me ajuda a chegar a algum lugar. Ninguém tem uma escada para ficar nela. Dinheiro não é essencial. Dinheiro é fundamental. Sem ele, você tem problema, mas ele, em si, não resolve. Emprego é fundamental, carreira é fundamental. O essencial é o que não pode não ser. Essencial é aquilo que faz com que a vida não se apequene. Que faz com que a gente seja capaz de transbordar. Repartir vida. Repartir o essencial, a amizade, a amorosidade, a fraternidade, a lealdade. Repartir a capacidade de ter esperança e, para isso, ter coragem. Coragem não é a ausência de medo.
Coragem é a capacidade de enfrentar o medo. O medo, assim como a dor, é um mecanismo de proteção que a natureza coloca para nós. Se você e eu não tivermos medo nem dor, ficamos muito vulneráveis. Porque a dor é um alerta e a dor nos prepara. É preciso coragem para que a nossa obra não se apequene. E, para isso, precisamos ter esperança.
E, como dizia o grande Paulo Freire, “tem de ser esperança do verbo esperançar”. Tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. “Ah, eu espero que dê certo, espero que resolva, espero que funcione.” Isso não é esperança. Esperançar é ir atrás, é se juntar, é não desistir. Esperançar é achar, de fato, que a vida é muito curta para ser pequena. E precisamos pensar se estamos nos dedicando ao importante em vez de ao urgente. Tem gente que diz: “Ah, mas eu não tenho tempo”. Atenção: tempo é uma questão de prioridade, de escolha.
Quando eu digo que não tenho tempo para isso, estou dizendo que isso não é importante para mim. Cuidado, você já viu infartado que não tem tempo? Se ele sobreviver, ele arruma um tempo. O médico dizia “você não pode fazer isso, tem de andar todos os dias”. Se ele infartar e sobreviver, no outro dia você vai vê-lo, às 6 horas da manhã, andando. Se ele tinha tempo, que ele teve de arrumar agora, por que não fez isso antes? Você tem tempo? Se não tem, crie. Talvez precisemos rever as nossas prioridades. Será que estamos cuidando do urgente e deixando o importante de lado? Será que não estamos atrás do fundamental, em vez de ir em busca do essencial? E assim, contribuir com meu verso!

Disponível em: < https://www.asomadetodosafetos.com/2016/07/a -vida- e-muito-curta-para-ser-pequena-mario-sergio- cor.html >. Acesso em: 20 set. 2018.

Analise os aspectos fonológicos dos vocábulos a seguir e assinale a alternativa correta.

  • A.

    Na palavra “patrimônio”, há dois encontros consonantais perfeitos e um encontro vocálico.

  • B.

    Todos os termos destacados nos vocábulos “esperança”, “funcione” e “precisemos” representam o fonema /s/.

  • C.

    Em “essencial”, há um dígrafo consonantal e um ditongo aberto.

  • D.

    No vocábulo “religiosidade”, aparecem cinco vogais e duas semivogais.

  • E.

    Em “fundamental”, há três vogais nasais.

Questão de Concurso - 1200134

Concurso ADEPARÁ Agente Fiscal Agropecuário 2018

Questão 1

Instituto AOCP

Nível Médio

Um texto sobre a gentileza


Por Martina Sarzi Neubüser

Gentileza. Palavrinha leve, soa fresca como brisa de verão. Alimenta a boca de quem fala e aquece os ouvidos de quem escuta. Quatro sílabas de humanidade genuína, na sua mais pura forma. Gentileza, ao contrário do que pode nos parecer hoje em dia, não é ato de outro mundo: é aquilo que nos faz mais irmãos, mais iguais, mais humanos. Gentileza não é puxar o saco. Não é dar mais importância ao outro do que a si mesmo. Não confunda. Gentileza é se doar para se sentir completo. É amar para se sentir, simplesmente, capaz de doar seu amor sem esperar coisa em troca. É estender a mão e, quando nos for estendida, é não pedir o braço. É olhar o mundo com bons olhos e incentivar que outros também façam isso.
É levar flores em um momento difícil ou, simplesmente, levar companhia. É servir uma xícara de café de bom grado. Gentileza de verdade não é obrigação, é virtude, é colher de chá. Na gentileza não pode haver cobrança, isso desvirtua seu sentido. Gentileza é dar e não esperar o troco, muito menos devolução. Vai além de ajudar; gentileza é cativar. Faz válida a nossa existência ao produzir frutos que não apodrecem, mas se multiplicam. É falar, mas é também calar. E, muitas vezes, o silêncio é mais gentil que qualquer palavra amiga. Quem é gentil cultiva um jardim dentro de si, não edifica castelos. Castelos são feitos de tijolos, tijolos trazem peso. Flores purificam, embelezam, trazem felicidade. E o jardim permanece ali: gentil. Com uma nova muda a cada gentileza. Depois de um tempo, ele cresce sem que percebamos. Os atos gentis tornam-se involuntários e, nesse momento, estamos floridos da cabeça aos pés.
Seja gentil, o mundo precisa da sua gentileza. Doe-se e verá que, mesmo parecendo contraditório, se sentirá mais completo.

Disponível em: < https://www.contioutra.com/um-texto-sobre-a- gentileza/ >. Acesso em: 12 set. 2018.

Sobre o texto, é correto afirmar que

  • A.

    os períodos muito longos que formam o texto geram problemas de coesão que dificultam a leitura e a interpretação.

  • B.

    não há a utilização de figuras de linguagem, assim ele se caracteriza como um texto meramente informativo.

  • C.

    a repetição do verbo “é”, no início dos períodos, caracteriza a função metalinguística da linguagem, a qual prevalece no texto todo.

  • D.

    “gentileza” é usada no início do texto como se fosse um período completo, já que esbarra em um ponto final e funciona como o sujeito de diversas orações no decorrer do texto, sendo, por vezes, omitida propositadamente, já que o leitor consegue recuperar o seu sentido devido à importância do vocábulo para a interpretação do texto.

  • E.

    a gentileza é apenas uma forma de conseguir manter por perto pessoas agradáveis.

Questão de Concurso - 1200135

Concurso ADEPARÁ Agente Fiscal Agropecuário 2018

Questão 2

Instituto AOCP

Nível Médio

Um texto sobre a gentileza


Por Martina Sarzi Neubüser

Gentileza. Palavrinha leve, soa fresca como brisa de verão. Alimenta a boca de quem fala e aquece os ouvidos de quem escuta. Quatro sílabas de humanidade genuína, na sua mais pura forma. Gentileza, ao contrário do que pode nos parecer hoje em dia, não é ato de outro mundo: é aquilo que nos faz mais irmãos, mais iguais, mais humanos. Gentileza não é puxar o saco. Não é dar mais importância ao outro do que a si mesmo. Não confunda. Gentileza é se doar para se sentir completo. É amar para se sentir, simplesmente, capaz de doar seu amor sem esperar coisa em troca. É estender a mão e, quando nos for estendida, é não pedir o braço. É olhar o mundo com bons olhos e incentivar que outros também façam isso.
É levar flores em um momento difícil ou, simplesmente, levar companhia. É servir uma xícara de café de bom grado. Gentileza de verdade não é obrigação, é virtude, é colher de chá. Na gentileza não pode haver cobrança, isso desvirtua seu sentido. Gentileza é dar e não esperar o troco, muito menos devolução. Vai além de ajudar; gentileza é cativar. Faz válida a nossa existência ao produzir frutos que não apodrecem, mas se multiplicam. É falar, mas é também calar. E, muitas vezes, o silêncio é mais gentil que qualquer palavra amiga. Quem é gentil cultiva um jardim dentro de si, não edifica castelos. Castelos são feitos de tijolos, tijolos trazem peso. Flores purificam, embelezam, trazem felicidade. E o jardim permanece ali: gentil. Com uma nova muda a cada gentileza. Depois de um tempo, ele cresce sem que percebamos. Os atos gentis tornam-se involuntários e, nesse momento, estamos floridos da cabeça aos pés.
Seja gentil, o mundo precisa da sua gentileza. Doe-se e verá que, mesmo parecendo contraditório, se sentirá mais completo.

Disponível em: < https://www.contioutra.com/um-texto-sobre-a- gentileza/ >. Acesso em: 12 set. 2018.

Assinale a alternativa correta em relação ao conteúdo do texto.

  • A.

    Em “Palavrinha leve, soa fresca como brisa de verão.”, o uso do diminutivo em “palavrinha” tem um tom pejorativo.

  • B.

    A gentiliza só ocorre sem esforço, sem que se perceba.

  • C.

    Ser gentil é uma virtude presente em atos simples, como fazer uma visita ou servir um café.

  • D.

    A gentileza é uma atitude que só traz benefícios a quem a recebe.

  • E.

    Em nenhuma parte do texto, há um incentivo para que as pessoas se tornem gentis.

Questão de Concurso - 1200136

Concurso ADEPARÁ Agente Fiscal Agropecuário 2018

Questão 3

Instituto AOCP

Nível Médio

Um texto sobre a gentileza


Por Martina Sarzi Neubüser

Gentileza. Palavrinha leve, soa fresca como brisa de verão. Alimenta a boca de quem fala e aquece os ouvidos de quem escuta. Quatro sílabas de humanidade genuína, na sua mais pura forma. Gentileza, ao contrário do que pode nos parecer hoje em dia, não é ato de outro mundo: é aquilo que nos faz mais irmãos, mais iguais, mais humanos. Gentileza não é puxar o saco. Não é dar mais importância ao outro do que a si mesmo. Não confunda. Gentileza é se doar para se sentir completo. É amar para se sentir, simplesmente, capaz de doar seu amor sem esperar coisa em troca. É estender a mão e, quando nos for estendida, é não pedir o braço. É olhar o mundo com bons olhos e incentivar que outros também façam isso.
É levar flores em um momento difícil ou, simplesmente, levar companhia. É servir uma xícara de café de bom grado. Gentileza de verdade não é obrigação, é virtude, é colher de chá. Na gentileza não pode haver cobrança, isso desvirtua seu sentido. Gentileza é dar e não esperar o troco, muito menos devolução. Vai além de ajudar; gentileza é cativar. Faz válida a nossa existência ao produzir frutos que não apodrecem, mas se multiplicam. É falar, mas é também calar. E, muitas vezes, o silêncio é mais gentil que qualquer palavra amiga. Quem é gentil cultiva um jardim dentro de si, não edifica castelos. Castelos são feitos de tijolos, tijolos trazem peso. Flores purificam, embelezam, trazem felicidade. E o jardim permanece ali: gentil. Com uma nova muda a cada gentileza. Depois de um tempo, ele cresce sem que percebamos. Os atos gentis tornam-se involuntários e, nesse momento, estamos floridos da cabeça aos pés.
Seja gentil, o mundo precisa da sua gentileza. Doe-se e verá que, mesmo parecendo contraditório, se sentirá mais completo.

Disponível em: < https://www.contioutra.com/um-texto-sobre-a- gentileza/ >. Acesso em: 12 set. 2018.

Em relação ao número de letras e de fonemas dos vocábulos seguintes, assinale a alternativa correta.

  • A.

    Em “gentileza”, há 9 letras e 10 fonemas.

  • B.

    Em “companhia”, há 9 letras e 9 fonemas.

  • C.

    Em “momento”, há 7 letras e 5 fonemas.

  • D.

    Em “flores”, há 6 letras e 5 fonemas.

  • E.

    Em “purificam”, há 9 letras e 9 fonemas.

Questão de Concurso - 1200137

Concurso ADEPARÁ Agente Fiscal Agropecuário 2018

Questão 4

Instituto AOCP

Nível Médio

Um texto sobre a gentileza


Por Martina Sarzi Neubüser

Gentileza. Palavrinha leve, soa fresca como brisa de verão. Alimenta a boca de quem fala e aquece os ouvidos de quem escuta. Quatro sílabas de humanidade genuína, na sua mais pura forma. Gentileza, ao contrário do que pode nos parecer hoje em dia, não é ato de outro mundo: é aquilo que nos faz mais irmãos, mais iguais, mais humanos. Gentileza não é puxar o saco. Não é dar mais importância ao outro do que a si mesmo. Não confunda. Gentileza é se doar para se sentir completo. É amar para se sentir, simplesmente, capaz de doar seu amor sem esperar coisa em troca. É estender a mão e, quando nos for estendida, é não pedir o braço. É olhar o mundo com bons olhos e incentivar que outros também façam isso.
É levar flores em um momento difícil ou, simplesmente, levar companhia. É servir uma xícara de café de bom grado. Gentileza de verdade não é obrigação, é virtude, é colher de chá. Na gentileza não pode haver cobrança, isso desvirtua seu sentido. Gentileza é dar e não esperar o troco, muito menos devolução. Vai além de ajudar; gentileza é cativar. Faz válida a nossa existência ao produzir frutos que não apodrecem, mas se multiplicam. É falar, mas é também calar. E, muitas vezes, o silêncio é mais gentil que qualquer palavra amiga. Quem é gentil cultiva um jardim dentro de si, não edifica castelos. Castelos são feitos de tijolos, tijolos trazem peso. Flores purificam, embelezam, trazem felicidade. E o jardim permanece ali: gentil. Com uma nova muda a cada gentileza. Depois de um tempo, ele cresce sem que percebamos. Os atos gentis tornam-se involuntários e, nesse momento, estamos floridos da cabeça aos pés.
Seja gentil, o mundo precisa da sua gentileza. Doe-se e verá que, mesmo parecendo contraditório, se sentirá mais completo.

Disponível em: < https://www.contioutra.com/um-texto-sobre-a- gentileza/ >. Acesso em: 12 set. 2018.

Considerando os processos de formação das palavras a seguir, assinale a alternativa correta.

  • A.

    A palavra “hospitalares” é formada por derivação prefixal.

  • B.

    O vocábulo “humanidade” é formado por derivação regressiva.

  • C.

    O verbo “desvirtua” é formado por prefixação.

  • D.

    A palavra “estendida” é formada por derivação prefixal e sufixal.

  • E.

    O vocábulo “gentileza” é formado por justaposição.

Questão de Concurso - 1200143

Concurso ADEPARÁ Agente Fiscal Agropecuário 2018

Questão 5

Instituto AOCP

Nível Médio

Um texto sobre a gentileza


Por Martina Sarzi Neubüser

Gentileza. Palavrinha leve, soa fresca como brisa de verão. Alimenta a boca de quem fala e aquece os ouvidos de quem escuta. Quatro sílabas de humanidade genuína, na sua mais pura forma. Gentileza, ao contrário do que pode nos parecer hoje em dia, não é ato de outro mundo: é aquilo que nos faz mais irmãos, mais iguais, mais humanos. Gentileza não é puxar o saco. Não é dar mais importância ao outro do que a si mesmo. Não confunda. Gentileza é se doar para se sentir completo. É amar para se sentir, simplesmente, capaz de doar seu amor sem esperar coisa em troca. É estender a mão e, quando nos for estendida, é não pedir o braço. É olhar o mundo com bons olhos e incentivar que outros também façam isso.
É levar flores em um momento difícil ou, simplesmente, levar companhia. É servir uma xícara de café de bom grado. Gentileza de verdade não é obrigação, é virtude, é colher de chá. Na gentileza não pode haver cobrança, isso desvirtua seu sentido. Gentileza é dar e não esperar o troco, muito menos devolução. Vai além de ajudar; gentileza é cativar. Faz válida a nossa existência ao produzir frutos que não apodrecem, mas se multiplicam. É falar, mas é também calar. E, muitas vezes, o silêncio é mais gentil que qualquer palavra amiga. Quem é gentil cultiva um jardim dentro de si, não edifica castelos. Castelos são feitos de tijolos, tijolos trazem peso. Flores purificam, embelezam, trazem felicidade. E o jardim permanece ali: gentil. Com uma nova muda a cada gentileza. Depois de um tempo, ele cresce sem que percebamos. Os atos gentis tornam-se involuntários e, nesse momento, estamos floridos da cabeça aos pés.
Seja gentil, o mundo precisa da sua gentileza. Doe-se e verá que, mesmo parecendo contraditório, se sentirá mais completo.

Disponível em: < https://www.contioutra.com/um-texto-sobre-a- gentileza/ >. Acesso em: 12 set. 2018.

Sobre a acentuação gráfica dos vocábulos presentes no texto, assinale a alternativa correta.

  • A.

    “xícara” recebe acento por ser uma paroxítona, terminada em “a”.

  • B.

    “café” é acentuado por ser um monossílabo tônico.

  • C.

    “existência” recebe acento por ser uma paroxítona, terminada em ditongo.

  • D.

    “é” recebe acento por ser um monossílabo átono.

  • E.

    “sentirᔠé acentuado por ser uma paroxítona, terminada em “a”.

Questão de Concurso - 1199809

Concurso ADEPARÁ Fiscal Estadual Agropecuário - Área Agronomia 2018

Questão 4

Instituto AOCP

Nível Superior

Analise a tirinha a seguir e assinale a alternativa correta referente ao seu conteúdo.





Disponível em: < https://tirasarmandinho.tumblr.com/ >. Acesso em: 03 de out. 2018.

  • A.

    A tirinha, de modo irônico, critica o alto índice de desemprego que o país enfrenta atualmente.

  • B.

    O personagem Armandinho acredita que o fato de o pai estar desempregado seja culpa dele.

  • C.

    Armandinho entende que o pai está triste por perder o emprego e compartilha de sua dor.

  • D.

    As reticências, nos dois primeiros quadrinhos, demonstram a hesitação dos personagens ao se dirigirem um ao outro.

  • E.

    Quando Armandinho diz ao pai “O senhor não está sozinho”, ele quis dizer que estava ao lado do pai.

Questão de Concurso - 1199840

Concurso ADEPARÁ Fiscal Estadual Agropecuário - Área Agronomia 2018

Questão 5

Instituto AOCP

Nível Superior

TEXTO 1 

A vida é muito curta para ser pequena 

Por Mario Sergio Cortella 

       Cuidado, a vida é muito curta para ser pequena. É preciso engrandecê-la. E, para isso, é preciso tomar cuidado com duas coisas: a primeira é que tem muita gente que cuida demais do urgente e deixa de lado o importante. Cuida da carreira, do dinheiro, do patrimônio, mas deixa o importante de lado. Depois não dá tempo. 
       A segunda grande questão é gente que se preocupa muito com o fundamental e deixa o essencial de lado. O essencial é tudo aquilo que não pode não ser: amizade, fraternidade, solidariedade, sexualidade, religiosidade, lealdade, integridade, liberdade, felicidade. Isso é essencial. Fundamental é tudo aquilo que te ajuda a chegar ao essencial. Fundamental é a tua ferramenta, como uma escada. 
       Uma escada é algo que me ajuda a chegar a algum lugar. Ninguém tem uma escada para ficar nela. Dinheiro não é essencial. Dinheiro é fundamental. Sem ele, você tem problema, mas ele, em si, não resolve. Emprego é fundamental, carreira é fundamental. O essencial é o que não pode não ser. Essencial é aquilo que faz com que a vida não se apequene. Que faz com que a gente seja capaz de transbordar. Repartir vida. Repartir o essencial, a amizade, a amorosidade, a fraternidade, a lealdade. Repartir a capacidade de ter esperança e, para isso, ter coragem. Coragem não é a ausência de medo. 
       Coragem é a capacidade de enfrentar o medo. O medo, assim como a dor, é um mecanismo de proteção que a natureza coloca para nós. Se você e eu não tivermos medo nem dor, ficamos muito vulneráveis. Porque a dor é um alerta e a dor nos prepara. É preciso coragem para que a nossa obra não se apequene. E, para isso, precisamos ter esperança. 
       E, como dizia o grande Paulo Freire, “tem de ser esperança do verbo esperançar”. Tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. “Ah, eu espero que dê certo, espero que resolva, espero que funcione.” Isso não é esperança. Esperançar é ir atrás, é se juntar, é não desistir. Esperançar é achar, de fato, que a vida é muito curta para ser pequena. E precisamos pensar se estamos nos dedicando ao importante em vez de ao urgente. Tem gente que diz: “Ah, mas eu não tenho tempo”. Atenção: tempo é uma questão de prioridade, de escolha. 
       Quando eu digo que não tenho tempo para isso, estou dizendo que isso não é importante para mim. Cuidado, você já viu infartado que não tem tempo? Se ele sobreviver, ele arruma um tempo. O médico dizia “você não pode fazer isso, tem de andar todos os dias”. Se ele infartar e sobreviver, no outro dia você vai vê-lo, às 6 horas da manhã, andando. Se ele tinha tempo, que ele teve de arrumar agora, por que não fez isso antes? Você tem tempo? Se não tem, crie. Talvez precisemos rever as nossas prioridades. Será que estamos cuidando do urgente e deixando o importante de lado? Será que não estamos atrás do fundamental, em vez de ir em busca do essencial? E assim, contribuir com meu verso! 

Disponível em: < https://www.asomadetodosafetos.com/2016/07/a -vida- e-muito-curta-para-ser-pequena-mario-sergio- cor.html >. Acesso em: 20 set. 2018.

Sobre a classificação do sujeito dos seguintes excertos, assinale a alternativa correta.

  • A.

    Em “Coragem é a capacidade de enfrentar o medo.”, o sujeito é indeterminado.

  • B.

    “Isso é essencial.” é uma oração sem sujeito.

  • C.

    Em “Esperançar é ir atrás [...]”, há sujeito indeterminado.

  • D.

    No trecho “[...] estou dizendo que isso não é importante para mim.”, o sujeito da primeira oração é oculto.

  • E.

    Na frase “Talvez precisemos rever as nossas prioridades.”, o sujeito é composto.