Questões de Concursos Assembléia Legislativa do Amapá - AP (ALE AP/AP)

Ver página ALE AP/AP Navegar questão a questão

Questão de Concurso - 1213205

Concurso ALE AP Analista Legislativo - Área: Atividade Legislativa - Especialidade: Técnico Legislativo 2019

Questão 1

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 5, baseie-se no texto abaixo.

Distribuição justa

A justiça de um resultado distributivo das riquezas depende das dotações iniciais dos participantes e da lisura do processo do qual ele decorre. Do ponto de vista coletivo, a questão crucial é: a desigualdade observada reflete essencialmente os talentos, esforços e valores diferenciados dos indivíduos, ou, ao contrário, ela resulta de um jogo viciado na origem e no processo, de uma profunda falta de equidade nas condições iniciais de vida, da privação de direitos elementares ou da discriminação racial, sexual, de gênero ou religiosa?

A condição da família em que uma criança tiver a sorte ou o infortúnio de nascer, um risco comum, a todos, passa a exercer um papel mais decisivo na definição de seu futuro do que qualquer outra coisa ou escolha que possa fazer no ciclo da vida. A falta de um mínimo de equidade nas condições iniciais e na capacitação para a vida tolhe a margem de escolha, vicia o jogo distributivo e envenena os valores da convivência. A igualdade de oportunidades está na origem da emancipação das pessoas. Crianças e jovens precisam ter a oportunidade de desenvolver seus talentos de modo a ampliar seu leque de escolhas possíveis na vida prática e eleger seus projetos, apostas e sonhos de realização.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 106)

Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

  • A.

    A menos que houvessem mais oportunidades para que cada indivíduo desenvolva seu talento, não ocorrerá justiça no processo.

  • B.

    Aos sonhos e aspirações das crianças e dos jovens devem corresponder sua realização, para que não se frustrem seu desenvolvimento.

  • C.

    Por mais que se esforcem, tem gente que não consegue obter sucesso em face dos vícios e da falta de oportunidade que o determinam.

  • D.

    O autor do texto está convicto sobre o papel que desempenha no futuro de cada indivíduo as condições de seu nascimento.

  • E.

    Argumenta-se no texto que a equidade de oportunidades é um fator determinante para uma justa distribuição das riquezas.

Questão de Concurso - 1213206

Concurso ALE AP Analista Legislativo - Área: Atividade Legislativa - Especialidade: Técnico Legislativo 2019

Questão 2

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 5, baseie-se no texto abaixo.

Distribuição justa

A justiça de um resultado distributivo das riquezas depende das dotações iniciais dos participantes e da lisura do processo do qual ele decorre. Do ponto de vista coletivo, a questão crucial é: a desigualdade observada reflete essencialmente os talentos, esforços e valores diferenciados dos indivíduos, ou, ao contrário, ela resulta de um jogo viciado na origem e no processo, de uma profunda falta de equidade nas condições iniciais de vida, da privação de direitos elementares ou da discriminação racial, sexual, de gênero ou religiosa?

A condição da família em que uma criança tiver a sorte ou o infortúnio de nascer, um risco comum, a todos, passa a exercer um papel mais decisivo na definição de seu futuro do que qualquer outra coisa ou escolha que possa fazer no ciclo da vida. A falta de um mínimo de equidade nas condições iniciais e na capacitação para a vida tolhe a margem de escolha, vicia o jogo distributivo e envenena os valores da convivência. A igualdade de oportunidades está na origem da emancipação das pessoas. Crianças e jovens precisam ter a oportunidade de desenvolver seus talentos de modo a ampliar seu leque de escolhas possíveis na vida prática e eleger seus projetos, apostas e sonhos de realização.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 106)

No emprego das formas verbais, são regulares a flexão e a concordância na frase:

  • A.

    Se ninguém se dispuser a mudar esse processo, ou vir pelo menos a reavaliá-lo, não se fará justiça quanto às riquezas a se distribuir.

  • B.

    À medida que se recomporem as condições iniciais do processo, será maior a possibilidade de se atenderem a cada um de seus ideais.

  • C.

    Se não se contiverem os vícios do processo de distribuição das riquezas, ele seguirá sendo envenenado pelas mesmas injustiças.

  • D.

    Caso não se retenhem seus pecados de origem, a distribuição de riquezas não alcançará os objetivos da justiça que se desejam fazer.

  • E.

    Como eles não requiseram maior igualdade de oportunidades, viram-se prejudicados pelo processo a que se deram um referendo.

Questão de Concurso - 1213208

Concurso ALE AP Analista Legislativo - Área: Atividade Legislativa - Especialidade: Técnico Legislativo 2019

Questão 3

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 5, baseie-se no texto abaixo.

Distribuição justa

A justiça de um resultado distributivo das riquezas depende das dotações iniciais dos participantes e da lisura do processo do qual ele decorre. Do ponto de vista coletivo, a questão crucial é: a desigualdade observada reflete essencialmente os talentos, esforços e valores diferenciados dos indivíduos, ou, ao contrário, ela resulta de um jogo viciado na origem e no processo, de uma profunda falta de equidade nas condições iniciais de vida, da privação de direitos elementares ou da discriminação racial, sexual, de gênero ou religiosa?

A condição da família em que uma criança tiver a sorte ou o infortúnio de nascer, um risco comum, a todos, passa a exercer um papel mais decisivo na definição de seu futuro do que qualquer outra coisa ou escolha que possa fazer no ciclo da vida. A falta de um mínimo de equidade nas condições iniciais e na capacitação para a vida tolhe a margem de escolha, vicia o jogo distributivo e envenena os valores da convivência. A igualdade de oportunidades está na origem da emancipação das pessoas. Crianças e jovens precisam ter a oportunidade de desenvolver seus talentos de modo a ampliar seu leque de escolhas possíveis na vida prática e eleger seus projetos, apostas e sonhos de realização.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 106)

No contexto do primeiro parágrafo, as expressões dotações iniciais de participantes e lisura do processo constituem

  • A.

    um objetivo idealista cuja aparência de justiça se apaga quando competidores aproveitam mal oportunidades iguais.

  • B.

    as causas ocultas da distribuição de riquezas que acaba por não fazer justiça às habilidades próprias dos indivíduos.

  • C.

    as metas mais justas a serem alcançadas por um conveniente processo distributivo das limitadas riquezas disponíveis.

  • D.

    os fatores diretamente condicionantes da possibilidade de haver justiça no processo distributivo das riquezas.

  • E.

    as razões de ser de todo processo de distribuição de riquezas que premie o talento inato dos mais competentes.

Questão de Concurso - 1213209

Concurso ALE AP Analista Legislativo - Área: Atividade Legislativa - Especialidade: Técnico Legislativo 2019

Questão 4

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 5, baseie-se no texto abaixo.

Distribuição justa

A justiça de um resultado distributivo das riquezas depende das dotações iniciais dos participantes e da lisura do processo do qual ele decorre. Do ponto de vista coletivo, a questão crucial é: a desigualdade observada reflete essencialmente os talentos, esforços e valores diferenciados dos indivíduos, ou, ao contrário, ela resulta de um jogo viciado na origem e no processo, de uma profunda falta de equidade nas condições iniciais de vida, da privação de direitos elementares ou da discriminação racial, sexual, de gênero ou religiosa?

A condição da família em que uma criança tiver a sorte ou o infortúnio de nascer, um risco comum, a todos, passa a exercer um papel mais decisivo na definição de seu futuro do que qualquer outra coisa ou escolha que possa fazer no ciclo da vida. A falta de um mínimo de equidade nas condições iniciais e na capacitação para a vida tolhe a margem de escolha, vicia o jogo distributivo e envenena os valores da convivência. A igualdade de oportunidades está na origem da emancipação das pessoas. Crianças e jovens precisam ter a oportunidade de desenvolver seus talentos de modo a ampliar seu leque de escolhas possíveis na vida prática e eleger seus projetos, apostas e sonhos de realização.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 106)

Em síntese, depreende-se da leitura do segundo parágrafo que

  • A.

    a capacitação natural para a vida leva a tornar vicioso o jogo distributivo das riquezas disponíveis em cada ocasião.

  • B.

    as escolhas nas quais se faz justiça aos talentos das crianças e dos jovens tornam-se possíveis com a equidade das condições iniciais.

  • C.

    a condição familiar de origem não tem peso determinante no desenvolvimento das qualidades pessoais de uma criança.

  • D.

    as aspirações e os sonhos das crianças e dos jovens só se formularão quando tiverem alcançado alguma possibilidade de realização.

  • E.

    a dotação injusta de talentos individuais faz com que não haja equidade ao final do processo de distribuição das riquezas.

Questão de Concurso - 1213211

Concurso ALE AP Analista Legislativo - Área: Atividade Legislativa - Especialidade: Técnico Legislativo 2019

Questão 5

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 5, baseie-se no texto abaixo.

Distribuição justa

A justiça de um resultado distributivo das riquezas depende das dotações iniciais dos participantes e da lisura do processo do qual ele decorre. Do ponto de vista coletivo, a questão crucial é: a desigualdade observada reflete essencialmente os talentos, esforços e valores diferenciados dos indivíduos, ou, ao contrário, ela resulta de um jogo viciado na origem e no processo, de uma profunda falta de equidade nas condições iniciais de vida, da privação de direitos elementares ou da discriminação racial, sexual, de gênero ou religiosa?

A condição da família em que uma criança tiver a sorte ou o infortúnio de nascer, um risco comum, a todos, passa a exercer um papel mais decisivo na definição de seu futuro do que qualquer outra coisa ou escolha que possa fazer no ciclo da vida. A falta de um mínimo de equidade nas condições iniciais e na capacitação para a vida tolhe a margem de escolha, vicia o jogo distributivo e envenena os valores da convivência. A igualdade de oportunidades está na origem da emancipação das pessoas. Crianças e jovens precisam ter a oportunidade de desenvolver seus talentos de modo a ampliar seu leque de escolhas possíveis na vida prática e eleger seus projetos, apostas e sonhos de realização.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 106)

Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um segmento do texto em:

  • A.

    envenena os valores da convivência (2o parágrafo) = corrompe a qualidade do convívio.

  • B.

    de modo a ampliar seu leque (2o parágrafo) = por conta da aberta indisponibilidade.

  • C.

    dotações iniciais dos participantes (1o parágrafo) = licitações originais dos concorrentes.

  • D.

    jogo viciado na origem e no processo (1o parágrafo) = processo fraudulento do acaso.

  • E.

    falta de um mínimo de equidade (2o parágrafo) = carência de discriminação equivalente.

Questão de Concurso - 1213386

Concurso ALE AP Analista Legislativo Atividade Legislativa Especialidade: Assessor Jurídico Legislativo 2019

Questão 1

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Superior

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 5, baseie-se no texto abaixo.

Distribuição justa

A justiça de um resultado distributivo das riquezas depende das dotações iniciais dos participantes e da lisura do processo do qual ele decorre. Do ponto de vista coletivo, a questão crucial é: a desigualdade observada reflete essencialmente os talentos, esforços e valores diferenciados dos indivíduos, ou, ao contrário, ela resulta de um jogo viciado na origem e no processo, de uma profunda falta de equidade nas condições iniciais de vida, da privação de direitos elementares ou da discriminação racial, sexual, de gênero ou religiosa?

A condição da família em que uma criança tiver a sorte ou o infortúnio de nascer, um risco comum, a todos, passa a exercer um papel mais decisivo na definição de seu futuro do que qualquer outra coisa ou escolha que possa fazer no ciclo da vida. A falta de um mínimo de equidade nas condições iniciais e na capacitação para a vida tolhe a margem de escolha, vicia o jogo distributivo e envenena os valores da convivência. A igualdade de oportunidades está na origem da emancipação das pessoas. Crianças e jovens precisam ter a oportunidade de desenvolver seus talentos de modo a ampliar seu leque de escolhas possíveis na vida prática e eleger seus projetos, apostas e sonhos de realização.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 106)

No emprego das formas verbais, são regulares a flexão e a concordância na frase:

  • A.

    Se ninguém se dispuser a mudar esse processo, ou vir pelo menos a reavaliá-lo, não se fará justiça quanto às riquezas a se distribuir.

  • B.

    À medida que se recomporem as condições iniciais do processo, será maior a possibilidade de se atenderem a cada um de seus ideais.

  • C.

    Se não se contiverem os vícios do processo de distribuição das riquezas, ele seguirá sendo envenenado pelas mesmas injustiças.

  • D.

    Caso não se retenhem seus pecados de origem, a distribuição de riquezas não alcançará os objetivos da justiça que se desejam fazer.

  • E.

    Como eles não requiseram maior igualdade de oportunidades, viram-se prejudicados pelo processo a que se deram um referendo.

Questão de Concurso - 1214061

Concurso ALE AP Auxiliar Legislativo Atividade Administrativa e Operacional Especialidade: Auxiliar Operacional 2019

Questão 1

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Médio

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 7, baseie-se no texto abaixo.


Para enfrentar os desafios da atualidade, o autor defende um sistema econômico

  • A.

    que coadune os propósitos da sociedade com os das empresas, de modo que estas venham a implementar ações sustentáveis, visando à satisfação, a um só tempo, dos interesses corporativos e sociais.

  • B.

    cujo principal objetivo seja o de promover retorno financeiro a empresas e investidores, os quais, em contrapartida, fomentariam ações de cuidado com o meio ambiente, na medida em que estas fossem proporcionalmente incentivadas pelo Estado.

  • C.

    já testado em países emergentes, como a China, que vem proporcionando níveis altos de desenvolvimento econômico, bem como a prosperidade sem precedentes da população.

  • D.

    em que a gestão da economia caiba primordialmente ao Estado, o qual poderia, assim, ter controle sobre a sustentabilidade de toda a cadeia produtiva.

  • E.

    em que se criem empregos por meio da expansão do mercado consumidor e da maximização dos benefícios financeiros aos acionistas de uma corporação.

Questão de Concurso - 1214062

Concurso ALE AP Auxiliar Legislativo Atividade Administrativa e Operacional Especialidade: Auxiliar Operacional 2019

Questão 2

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Médio

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 7, baseie-se no texto abaixo.


a fim de melhorar a situação do mundo em que operam. (8o parágrafo)

O segmento sublinhado acima pode ser corretamente substituído por:

  • A.

    nas quais.

  • B.

    do qual.

  • C.

    à medida que.

  • D.

    na qual.

  • E.

    no qual.

Questão de Concurso - 1214064

Concurso ALE AP Auxiliar Legislativo Atividade Administrativa e Operacional Especialidade: Auxiliar Operacional 2019

Questão 3

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Médio

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 7, baseie-se no texto abaixo.


No 5o parágrafo, o autor

  • A.

    refuta a atitude de jovens de países desenvolvidos que optam pelo desemprego como forma de protesto contra o sistema capitalista vigente.

  • B.

    censura a atitude de gestores que se furtam a considerar os interesses financeiros dos investidores ao estabelecer as diretrizes da cadeia produtiva da empresa.

  • C.

    atribui à atitude da militante sueca Greta Thunberg a razão de muitos terem reconhecido que o capitalismo de acionistas peca pela falta de sustentabilidade ambiental.

  • D.

    exalta a iniciativa de empresários cujas gestões se baseiam no fomento aos valores da corporação, almejando, ao mesmo tempo, a superação dos lucros dos acionistas.

  • E.

    considera que o boicote por parte de jovens como Greta Thunberg a empresas pouco sustentáveis, ainda que louvável, freia o crescimento econômico e gera desemprego.

Questão de Concurso - 1214067

Concurso ALE AP Auxiliar Legislativo Atividade Administrativa e Operacional Especialidade: Auxiliar Operacional 2019

Questão 4

Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível Médio

Atenção: Para responder às questões de números 1 a 7, baseie-se no texto abaixo.


No contexto, exprime noção de finalidade o segmento sublinhado em:

  • A. Em termos gerais, temos três modelos entre os quais escolher. (1o parágrafo)
  • B.

    Ao dar significado concreto ao capitalismo de stakeholders, podem ir além de suas obrigações legais e cumprir seu dever para com a sociedade. (9o parágrafo)

  • C.

    Durante seu período de maior êxito, milhões prosperaram (3o parágrafo)

  • D.

    Mas, para defender os princípios do capitalismo de stakeholders, as empresas precisarão de novos indicadores. (7o parágrafo)

  • E.

    Ademais, as grandes empresas deveriam compreender que elas são partes interessadas em nosso futuro comum. (8o parágrafo)