Questões de Concurso de Urbanístico - Arquitetura

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão 997081

Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT 15) 2018

Cargo: Analista Judiciário - Área Apoio Especializado - Especialidade: Arquitetura / Questão 48

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

A urbanização de uma gleba para fins de moradia é um processo de intervenção no espaço, que cria áreas de múltiplos usos, tanto públicas como privadas. Este tipo de projeto deve prever uma distribuição
  • A. setorizada das moradias, definidas por faixas de renda e que permita a execução de no máximo 5% de áreas destinadas ao lazer.
  • B. econômica do sistema viário e das habitações respeitando a não ocupação de áreas com declividades acima de 15%.
  • C. sustentável para as áreas com restrição de uso (proteção permanente a nascentes, córregos, altas declividades, matas naturais), para fins de recreação e equipamentos institucionais.
  • D. hierarquizada para a implantação das edificações nos lotes e a liberação dos recuos exigidos nas legislações locais e na estadual.
  • E. equilibrada do sistema viário, de lazer, de uso institucional, de comércio e de habitação, um adequado relacionamento com a realidade do entorno da gleba.

Questão 997088

Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT 15) 2018

Cargo: Analista Judiciário - Área Apoio Especializado - Especialidade: Arquitetura / Questão 55

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

A proposta de reabilitação de imóveis localizados em áreas urbanas centrais para Habitação de Interesse Social (HIS) pode se deparar com problemas fundiários, preço dos imóveis, falta de legislação e instrumentos urbanísticos adequados, entre outros. Na fase de inspeção e caracterização do edifício a ser reabilitado, é necessário que se realize
  • A. a verificação da regulamentação de obras no município, normas técnicas da ABNT, regulamento de operação e instalações das concessionárias e exigências legais incidentes para dimensionamento das aberturas.
  • B. o reconhecimento de propriedade, da situação do imóvel junto às concessionárias, situação jurídica e financeira em relação ao poder público e controle de acesso às unidades.
  • C. a comparação do edifício com os dados levantados no projeto original e verificação das anomalias estruturais e construtivas presentes no edifício, podendo ser necessária a elaboração de laudos técnicos estruturais das fundações, pilares, vigas e lajes.
  • D. a análise de alternativas tecnológicas locais, disponibilidade de material e mão de obra, custos envolvidos e condições de durabilidade, manutenção e adaptabilidade em relação ao novo uso.
  • E. a análise das condições urbanísticas e de logística urbana, infraestrutura urbana e equipamentos urbanos e a identificação dos agentes a serem envolvidos, moradores ou associação de moradores.

Questão 1050494

Centro de Perícias Científicas Renato Chaves - PA (CPC/PA) 2019

Cargo: Perito Criminal - Área Arquitetura / Questão 36

Banca: Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP)

Nível: Superior

Sobre hierarquia de sistema viário urbano, é correto afirmar que
  • A. vias coletoras são vias de conexão interbairros, articulando vizinhanças e permitindo fluxo de transporte coletivo por ônibus.
  • B. vias locais se destinam, a rigor, a articular diferentes zonas de uma cidade, devendo idealmente receber transporte público leve, como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Sítios Históricos Urbanos.
  • C. vias arteriais se definem pela ligação de diferentes distritos, cidades ou municípios, devendo obrigatoriamente possuir, por determinação do DNIT, mínimo de oito faixas de rolamento em dois sentidos de tráfego.
  • D. a articulação direta entre arteriais e vias locais é desejável em entroncamentos, uma vez que hierarquicamente estas se sucedem, produzindo transição adequada e suave de volume de tráfego e caráter urbanístico.
  • E. o sistema de vias expressas urbanas deve se articular diretamente com entroncamentos no nível hierárquico das vias coletoras, que direcionam e concentram o tráfego de veículos pesados e transporte público por ônibus.

Questão 1050495

Centro de Perícias Científicas Renato Chaves - PA (CPC/PA) 2019

Cargo: Perito Criminal - Área Arquitetura / Questão 37

Banca: Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP)

Nível: Superior

Sobre o zoneamento urbanístico em Planos Diretores, Leis de Uso, Ocupação do Solo e correlatos, conforme ordenamento jurídico brasileiro, é correto afirmar que
  • A. o zoneamento monofuncional com atividades e usos do solo organizados e claramente definidos, como na cidade modernista de Brasília-DF, produz redução de volume de tráfego, maior ordenamento territorial, incrementa as condições de segurança pública e disciplina o habitante das cidades, sendo recomendável no caso brasileiro.
  • B. usam-se zoneamentos diferenciados por atributos para legislar e produzir ordenamento territorial em diferentes escalas e propósitos. Pode haver zoneamento de caráter ambiental, urbanístico, construtivo, com diferentes parâmetros não conflitantes, uma vez que há prevalência constitucional da União para legislar sobre matéria ambiental, ficando o município com competência concorrente em matéria urbanística.
  • C. zonas do macrozoneamento não preveem parâmetros como taxa de ocupação e coeficiente de aproveitamento do solo; o microzoneamento ou zoneamento urbano o faz, com índices específicos por microzona, detalhada na Lei de Uso e Ocupação do Solo, respeitando o Direito de Propriedade, garantido na Constituição Federal de 1988, porém cumprindo a Função Social da Propriedade, conforme o Estatuto da Cidade.
  • D. zonas de diferentes atributos compõem um corpo de ordenamento territorial coeso, sem conflitos entre os parâmetros, respeitando a competência constitucional do município para legislar em matéria urbanística. Zonas podem prever estímulos ou contenção de usos do solo ou padrões de ocupação, com proibições residuais de usos do solo específicos.
  • E. o Plano Diretor contém o macrozoneamento, com as principais diretrizes de uso e ocupação do solo e as expectativas qualitativas desejáveis para a zona. A Lei de Uso e Ocupação do Solo é que prevê, em zoneamento específico, parâmetros quantitativos, como coeficiente de aproveitamento, taxa de ocupação, seção de ocupação transversal, coeficiente básico e máximo de adensamento, outorga onerosa, IPTU progressivo, direito de preempção e zonas especiais de interesse social.

Questão 1050496

Centro de Perícias Científicas Renato Chaves - PA (CPC/PA) 2019

Cargo: Perito Criminal - Área Arquitetura / Questão 38

Banca: Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP)

Nível: Superior

Sobre parâmetros urbanísticos quantitativos, é correto afirmar que
  • A. a taxa de ocupação seria a divisão entre a área construída do edifício e a área do lote. Sua utilidade principal é regular a densidade demográfica e o potencial construtivo, evitando sobrecarga de infraestrutura.
  • B. a densidade demográfica é controlada pela regulamentação urbanística de interesse sanitário, representada pela tipologia da casa ou apartamento através do número de dormitórios, segundo leis de mercado.
  • C. o coeficiente de aproveitamento advém da divisão da projeção total da forma da edificação sobre a superfície do terreno edificado, representando a totalidade da área construída e, assim, a intensidade de uso do solo.
  • D. controlar a seção de ocupação transversal pode trabalhar em paralelo os afastamentos laterais, o que favoreceria a adequada circulação de ar, certa privacidade e a liberação de áreas de acesso e circulação laterais.
  • E. a medida da verticalização é a associação entre coeficiente de aproveitamento e servidão administrativa, de modo a permitir livre circulação de passantes e condições adequadas de salubridade do imóvel em altura.

Questão 1050499

Centro de Perícias Científicas Renato Chaves - PA (CPC/PA) 2019

Cargo: Perito Criminal - Área Arquitetura / Questão 41

Banca: Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP)

Nível: Superior

A utilização de pacotes de geoprocessamento no planejamento urbano é feita para a produção, divulgação e análise de cartografia e bancos de dados capazes de agilizar a tomada de decisão pela gestão urbanística. Quanto à correlação entre princípios utilizados nas técnicas de geoprocessamento e de planejamento urbano, é correto afirmar que
  • A. a representação de polígonos por meio de coordenadas geográficas é aplicada ao zoneamento urbano a partir do perímetro das zonas de uso do solo.
  • B. os bancos de dados cadastrais de edificações para fins tributários se constituem na principal informação cartográfica usada em projetos de reurbanização e de melhorias urbanas.
  • C. a correlação entre banco de dados e cartografias em ambiente de geoprocessamento é usada para análise de configuração de projetos arquitetônicos sem considerar a localização dos lotes nas zonas de uso e ocupação do solo.
  • D. há incompatibilidade de desenhos em CAD com técnicas de geoprocessamento devido à falta de precisão cartográficas dos limites das zonas de uso e ocupação do solo.
  • E. a falta de integração do cadastro imobiliário com a cartografia oficial municipal se constitui em impedimento para o uso de geoprocessamento pela gestão municipal.

Questão 955668

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) 2018

Cargo: Arquiteto / Questão 47

Banca: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Nível: Superior

Nos estudos sobre morfologia urbana, a dimensão espacial corretamente relacionada à escala do bairro é a:
  • A. setorial.
  • B. territorial.
  • C. edificada.
  • D. viária.
  • E. urbana.

Questão 962016

Câmara de Salvador - BA 2018

Cargo: Especialista - Área Arquiteto / Questão 44

Banca: Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível: Superior

Com o objetivo de sensibilizar e mobilizar as cidades brasileiras para que se desenvolvam de forma econômica, social e ambientalmente sustentável, o Programa Cidades Sustentáveis oferece aos gestores públicos uma agenda de sustentabilidade urbana com 12 eixos temáticos, um conjunto de indicadores associados a essa agenda e um banco de referência com casos práticos nacionais e internacionais, disponíveis na plataforma cidadessustentaveis.org.br. O eixo “Planejamento e Desenho Urbano” tem como objetivo reconhecer o papel estratégico do planejamento e do desenho urbano na abordagem das questões ambientais, sociais, econômicas, culturais e da saúde, para benefício de todos.

Diante do exposto, pode-se dizer que o eixo “Planejamento e Desenho Urbano” favorece:

I. o ordenamento e desenvolvimento urbano no interior dos espaços construídos, com a recuperação dos ambientes urbanos degradados, assegurando densidades urbanas apropriadas;

II. o aproveitamento dos recursos e fenômenos naturais no planejamento urbano;

III. a setorização funcional dos bairros, estimulando a criação de bairros com funções e usos específicos, dando prioridade para a vocação turística dos centros das cidades.

Está correto somente o que se afirma em:

  • A. I;
  • B. II;
  • C. III;
  • D. I e II;
  • E. I e III.

Questão 962017

Câmara de Salvador - BA 2018

Cargo: Especialista - Área Arquiteto / Questão 45

Banca: Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível: Superior

Para fins de análise das malhas viárias, pode-se dividi-las em três tipos: regular, irregular e contemporânea. A esse respeito, analise as definições a seguir.

I. regular: malhas viárias propiciam uma boa mobilidade urbana;

II. irregular: possui uma mobilidade urbana dificultada pela conformação de sua estrutura viária com formação labiríntica em muitos casos;

III. contemporânea: é a melhor estrutura viária das apresentadas, pois possui uma regularidade das vias, além dos arcos viários.

Está correto somente o que se afirma em:

  • A. I;
  • B. II;
  • C. III;
  • D. I e II;
  • E. II e III.

Questão 962019

Câmara de Salvador - BA 2018

Cargo: Especialista - Área Arquiteto / Questão 47

Banca: Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível: Superior

Além de contribuírem para o bem-estar psicológico e físico dos cidadãos e de reduzir a poluição, a arborização urbana contribui sobremaneira para a melhoria de outros aspectos da cidade, que por vezes podem passar desapercebidos.

Considere uma cidade hipotética onde a prefeitura decidiu criar parques próximos à área urbana. Passados alguns anos, como era de se esperar, houve uma melhoria nos indicadores de poluição da cidade. Entretanto, percebeu-se também uma redução do consumo de energia elétrica nos domicílios.

Um dos motivos pelos quais a arborização urbana pode ter contribuído para a redução do consumo de energia elétrica da cidade pode ser:

  • A. a desapropriação realizada para o plantio das árvores reduziu o número de residências da cidade, diminuindo o consumo de energia;
  • B. as árvores melhoraram o conforto térmico da cidade, e por sua vez, reduziram a necessidade do gasto com energia para a climatização dos ambientes das edificações;
  • C. a liberação do gás carbônico no processo de respiração das árvores ameniza a temperatura, reduzindo o gasto com refrigeração;
  • D. a desvalorização da área arborizada, que passou a ser ocupada por habitantes com menor poder aquisitivo, com perfil de consumo de energia menor;
  • E. as áreas urbanizadas diminuíram o sedentarismo das pessoas, que passaram a consumir menos energia elétrica.