Questões de Concursos Consórcio Intermunicipal de Saúde de Amures - SC (CIS - Amures/SC)

Ver página CIS - Amures/SC Navegar questão a questão

Questão de Concurso - 1177208

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 1

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto.

Eu te amo, bicho.

Qual é o melhor amigo do homem? Apesar de o ditado popular ter consagrado o cachorro como dono desse título, esse é o tipo de questão que depende da preferência de cada um. Mas, quando falamos do nosso amigo mais antigo, não cabe discussão: o primeiro animal a ser domesticado foi mesmo o cão. Ou, para ser mais preciso, um ancestral comum dos lobos e cachorros atuais. A relação começou na pré-história, há cerca de 30 mil anos, em diferentes partes do mundo – como China, Europa e América do Norte. Era uma troca: os cachorros ganhavam comida e os humanos, proteção. Com o tempo, o vínculo se aprofundou e se estendeu às várias outras espécies de animais de estimação.


Hoje, no Brasil, é mais comum ter bichos do que filhos. De cada 100 famílias, 62 abrigam algum animalzinho, enquanto só 36 têm crianças, segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2013. E essa relação traz uma série de benefícios para o corpo e a mente: “O convívio com animais produz um efeito contra o estresse, fortalece o sistema imunológico e aumenta as chances de sobrevida para quem tem problemas cardíacos. Além disso, eleva as possibilidades de interação social”, explica a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Carine Redígolo, estudiosa do comportamento animal.


A ligação entre os humanos e os bichos é tão poderosa que chega a interferir nos nossos hormônios. Pesquisadores da Universidade de Azabu, no Japão, descobriram que basta uma simples troca de olhares entre o cão e o dono para aumentar o nível da ocitocina – a substância que ajuda a formar os laços entre mães e filhos. Se você gosta de animais, conhece na prática essas descobertas da ciência. Interagir com essas criaturas amorosas enche nossa rotina de alegria, das mais variadas formas.

Revista Todos – A vida é feita de histórias. Qual é a sua? – Outubro/Novembro, p.14.

Assinale a alternativa correta com base no texto.

  • A.

    A ciência afirma que o cachorro é o maior amigo do homem.

  • B.

    Todos os animais de estimação interagem socialmente.

  • C.

    Segundo a pesquisadora da USP, a ocitocina aumenta o nível de interação social dos cachorros

  • D.

    O vínculo afetivo entre o homem e os animais de estimação teve como precursor um ascendente do cachorro.

  • E.

    A relação que os humanos têm com seu animal de estimação sempre é igual à relação que eles têm com seus filhos.

Questão de Concurso - 1177210

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 2

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto.

Eu te amo, bicho.

Qual é o melhor amigo do homem? Apesar de o ditado popular ter consagrado o cachorro como dono desse título, esse é o tipo de questão que depende da preferência de cada um. Mas, quando falamos do nosso amigo mais antigo, não cabe discussão: o primeiro animal a ser domesticado foi mesmo o cão. Ou, para ser mais preciso, um ancestral comum dos lobos e cachorros atuais. A relação começou na pré-história, há cerca de 30 mil anos, em diferentes partes do mundo – como China, Europa e América do Norte. Era uma troca: os cachorros ganhavam comida e os humanos, proteção. Com o tempo, o vínculo se aprofundou e se estendeu às várias outras espécies de animais de estimação.


Hoje, no Brasil, é mais comum ter bichos do que filhos. De cada 100 famílias, 62 abrigam algum animalzinho, enquanto só 36 têm crianças, segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2013. E essa relação traz uma série de benefícios para o corpo e a mente: “O convívio com animais produz um efeito contra o estresse, fortalece o sistema imunológico e aumenta as chances de sobrevida para quem tem problemas cardíacos. Além disso, eleva as possibilidades de interação social”, explica a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Carine Redígolo, estudiosa do comportamento animal.


A ligação entre os humanos e os bichos é tão poderosa que chega a interferir nos nossos hormônios. Pesquisadores da Universidade de Azabu, no Japão, descobriram que basta uma simples troca de olhares entre o cão e o dono para aumentar o nível da ocitocina – a substância que ajuda a formar os laços entre mães e filhos. Se você gosta de animais, conhece na prática essas descobertas da ciência. Interagir com essas criaturas amorosas enche nossa rotina de alegria, das mais variadas formas.

Revista Todos – A vida é feita de histórias. Qual é a sua? – Outubro/Novembro, p.14.

Assinale a alternativa correta com base no texto.

  • A.

    Há 30 mil anos, os cachorros já ganhavam proteção.

  • B.

    Todos conhecem na prática as descobertas da ciência sobre os animais de estimação.

  • C.

    Em nosso país, a prática de ter um animal de estimação supera a de ter filhos.

  • D.

    Apenas uma troca de olhar entre um animal de estimação e seu dono cria um hormônio capaz de desenvolver uma espécie de amor filial.

  • E.

    O comportamento dos animais interfere de maneira não muito efetiva em nosso convívio social.

Questão de Concurso - 1177212

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 3

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto.

Eu te amo, bicho.

Qual é o melhor amigo do homem? Apesar de o ditado popular ter consagrado o cachorro como dono desse título, esse é o tipo de questão que depende da preferência de cada um. Mas, quando falamos do nosso amigo mais antigo, não cabe discussão: o primeiro animal a ser domesticado foi mesmo o cão. Ou, para ser mais preciso, um ancestral comum dos lobos e cachorros atuais. A relação começou na pré-história, há cerca de 30 mil anos, em diferentes partes do mundo – como China, Europa e América do Norte. Era uma troca: os cachorros ganhavam comida e os humanos, proteção. Com o tempo, o vínculo se aprofundou e se estendeu às várias outras espécies de animais de estimação.


Hoje, no Brasil, é mais comum ter bichos do que filhos. De cada 100 famílias, 62 abrigam algum animalzinho, enquanto só 36 têm crianças, segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2013. E essa relação traz uma série de benefícios para o corpo e a mente: “O convívio com animais produz um efeito contra o estresse, fortalece o sistema imunológico e aumenta as chances de sobrevida para quem tem problemas cardíacos. Além disso, eleva as possibilidades de interação social”, explica a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Carine Redígolo, estudiosa do comportamento animal.


A ligação entre os humanos e os bichos é tão poderosa que chega a interferir nos nossos hormônios. Pesquisadores da Universidade de Azabu, no Japão, descobriram que basta uma simples troca de olhares entre o cão e o dono para aumentar o nível da ocitocina – a substância que ajuda a formar os laços entre mães e filhos. Se você gosta de animais, conhece na prática essas descobertas da ciência. Interagir com essas criaturas amorosas enche nossa rotina de alegria, das mais variadas formas.

Revista Todos – A vida é feita de histórias. Qual é a sua? – Outubro/Novembro, p.14.

Assinale a alternativa que faz uma afirmação correta sobre acentuação, considerando o primeiro parágrafo do texto.

  • A.

    Há três palavras acentuadas pela mesma regra.

  • B.

    Considerando a palavra “não”, há quatro palavras oxítonas acentuadas.

  • C.

    Toda paroxítona deve ser acentuada, isso justifica a acentuação das palavras “espécie” e “várias”.

  • D.

    Se a palavra “várias” estivesse no singular, o acento seria desnecessário, mas o significado da palavra não se alteraria.

  • E.

    As palavras “discussão” e “estimação” são acentuadas graficamente pela mesma regra.

Questão de Concurso - 1177213

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 4

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto.

Eu te amo, bicho.

Qual é o melhor amigo do homem? Apesar de o ditado popular ter consagrado o cachorro como dono desse título, esse é o tipo de questão que depende da preferência de cada um. Mas, quando falamos do nosso amigo mais antigo, não cabe discussão: o primeiro animal a ser domesticado foi mesmo o cão. Ou, para ser mais preciso, um ancestral comum dos lobos e cachorros atuais. A relação começou na pré-história, há cerca de 30 mil anos, em diferentes partes do mundo – como China, Europa e América do Norte. Era uma troca: os cachorros ganhavam comida e os humanos, proteção. Com o tempo, o vínculo se aprofundou e se estendeu às várias outras espécies de animais de estimação.


Hoje, no Brasil, é mais comum ter bichos do que filhos. De cada 100 famílias, 62 abrigam algum animalzinho, enquanto só 36 têm crianças, segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2013. E essa relação traz uma série de benefícios para o corpo e a mente: “O convívio com animais produz um efeito contra o estresse, fortalece o sistema imunológico e aumenta as chances de sobrevida para quem tem problemas cardíacos. Além disso, eleva as possibilidades de interação social”, explica a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Carine Redígolo, estudiosa do comportamento animal.


A ligação entre os humanos e os bichos é tão poderosa que chega a interferir nos nossos hormônios. Pesquisadores da Universidade de Azabu, no Japão, descobriram que basta uma simples troca de olhares entre o cão e o dono para aumentar o nível da ocitocina – a substância que ajuda a formar os laços entre mães e filhos. Se você gosta de animais, conhece na prática essas descobertas da ciência. Interagir com essas criaturas amorosas enche nossa rotina de alegria, das mais variadas formas.

Revista Todos – A vida é feita de histórias. Qual é a sua? – Outubro/Novembro, p.14.

Assinale a alternativa cuja colocação pronominal está correta.

  • A.

    Me perdoe pelo incômodo que provoquei.

  • B.

    Jamais se deve negligenciar uma tarefa dada.

  • C.

    A negligência que nota-se hoje em determinadas áreas advém da falta de profissionalismo.

  • D.

    Ninguém ajudou-nos na aplicação da técnica solicitada.

  • E.

    Eles não impuseram-lhe a digitação daquele texto.

Questão de Concurso - 1177214

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 5

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto.

Eu te amo, bicho.

Qual é o melhor amigo do homem? Apesar de o ditado popular ter consagrado o cachorro como dono desse título, esse é o tipo de questão que depende da preferência de cada um. Mas, quando falamos do nosso amigo mais antigo, não cabe discussão: o primeiro animal a ser domesticado foi mesmo o cão. Ou, para ser mais preciso, um ancestral comum dos lobos e cachorros atuais. A relação começou na pré-história, há cerca de 30 mil anos, em diferentes partes do mundo – como China, Europa e América do Norte. Era uma troca: os cachorros ganhavam comida e os humanos, proteção. Com o tempo, o vínculo se aprofundou e se estendeu às várias outras espécies de animais de estimação.


Hoje, no Brasil, é mais comum ter bichos do que filhos. De cada 100 famílias, 62 abrigam algum animalzinho, enquanto só 36 têm crianças, segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2013. E essa relação traz uma série de benefícios para o corpo e a mente: “O convívio com animais produz um efeito contra o estresse, fortalece o sistema imunológico e aumenta as chances de sobrevida para quem tem problemas cardíacos. Além disso, eleva as possibilidades de interação social”, explica a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Carine Redígolo, estudiosa do comportamento animal.


A ligação entre os humanos e os bichos é tão poderosa que chega a interferir nos nossos hormônios. Pesquisadores da Universidade de Azabu, no Japão, descobriram que basta uma simples troca de olhares entre o cão e o dono para aumentar o nível da ocitocina – a substância que ajuda a formar os laços entre mães e filhos. Se você gosta de animais, conhece na prática essas descobertas da ciência. Interagir com essas criaturas amorosas enche nossa rotina de alegria, das mais variadas formas.

Revista Todos – A vida é feita de histórias. Qual é a sua? – Outubro/Novembro, p.14.

Assinale a alternativa que apresenta corretamente um par de parônimos.

  • A.

    cela e sela

  • B.

    taxar e tachar

  • C.

    estrato e extrato

  • D.

    concerto e conserto

  • E.

    comprimento e cumprimento

Questão de Concurso - 1177216

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 6

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto.

Eu te amo, bicho.

Qual é o melhor amigo do homem? Apesar de o ditado popular ter consagrado o cachorro como dono desse título, esse é o tipo de questão que depende da preferência de cada um. Mas, quando falamos do nosso amigo mais antigo, não cabe discussão: o primeiro animal a ser domesticado foi mesmo o cão. Ou, para ser mais preciso, um ancestral comum dos lobos e cachorros atuais. A relação começou na pré-história, há cerca de 30 mil anos, em diferentes partes do mundo – como China, Europa e América do Norte. Era uma troca: os cachorros ganhavam comida e os humanos, proteção. Com o tempo, o vínculo se aprofundou e se estendeu às várias outras espécies de animais de estimação.


Hoje, no Brasil, é mais comum ter bichos do que filhos. De cada 100 famílias, 62 abrigam algum animalzinho, enquanto só 36 têm crianças, segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2013. E essa relação traz uma série de benefícios para o corpo e a mente: “O convívio com animais produz um efeito contra o estresse, fortalece o sistema imunológico e aumenta as chances de sobrevida para quem tem problemas cardíacos. Além disso, eleva as possibilidades de interação social”, explica a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Carine Redígolo, estudiosa do comportamento animal.


A ligação entre os humanos e os bichos é tão poderosa que chega a interferir nos nossos hormônios. Pesquisadores da Universidade de Azabu, no Japão, descobriram que basta uma simples troca de olhares entre o cão e o dono para aumentar o nível da ocitocina – a substância que ajuda a formar os laços entre mães e filhos. Se você gosta de animais, conhece na prática essas descobertas da ciência. Interagir com essas criaturas amorosas enche nossa rotina de alegria, das mais variadas formas.

Revista Todos – A vida é feita de histórias. Qual é a sua? – Outubro/Novembro, p.14.

Observe os pares de frases.

1. Preciso de técnicos de enfermagem. Precisa-se de técnicos de enfermagem.

2. Tinha muito digitador sem serviço. Haviam muitos digitadores sem serviço. 3. Faz 3 anos que não te vejo. Fazem

3 anos que não te vejo.

4. Deve existir auxiliares administrativos competentes aqui. Deve haver auxiliares administrativos competentes aqui.

Assinale a alternativa correta.

  • A.

    Em 1, as duas frases estão corretas.

  • B.

    Em 2, na segunda frase, como o sujeito está no plural, o verbo com ele concordou corretamente.

  • C.

    Em 3, somente a segunda frase está correta quanto à concordância verbal.

  • D.

    Em 4, somente a primeira frase está correta.

  • E.

    Em 3, além do erro de concordância, há um erro de colocação pronominal em ambas as frases.

Questão de Concurso - 1177217

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 7

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto.

Eu te amo, bicho.

Qual é o melhor amigo do homem? Apesar de o ditado popular ter consagrado o cachorro como dono desse título, esse é o tipo de questão que depende da preferência de cada um. Mas, quando falamos do nosso amigo mais antigo, não cabe discussão: o primeiro animal a ser domesticado foi mesmo o cão. Ou, para ser mais preciso, um ancestral comum dos lobos e cachorros atuais. A relação começou na pré-história, há cerca de 30 mil anos, em diferentes partes do mundo – como China, Europa e América do Norte. Era uma troca: os cachorros ganhavam comida e os humanos, proteção. Com o tempo, o vínculo se aprofundou e se estendeu às várias outras espécies de animais de estimação.


Hoje, no Brasil, é mais comum ter bichos do que filhos. De cada 100 famílias, 62 abrigam algum animalzinho, enquanto só 36 têm crianças, segundo os dados mais recentes do IBGE, de 2013. E essa relação traz uma série de benefícios para o corpo e a mente: “O convívio com animais produz um efeito contra o estresse, fortalece o sistema imunológico e aumenta as chances de sobrevida para quem tem problemas cardíacos. Além disso, eleva as possibilidades de interação social”, explica a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Carine Redígolo, estudiosa do comportamento animal.


A ligação entre os humanos e os bichos é tão poderosa que chega a interferir nos nossos hormônios. Pesquisadores da Universidade de Azabu, no Japão, descobriram que basta uma simples troca de olhares entre o cão e o dono para aumentar o nível da ocitocina – a substância que ajuda a formar os laços entre mães e filhos. Se você gosta de animais, conhece na prática essas descobertas da ciência. Interagir com essas criaturas amorosas enche nossa rotina de alegria, das mais variadas formas.

Revista Todos – A vida é feita de histórias. Qual é a sua? – Outubro/Novembro, p.14.

Considere o texto.

A funcionária feliz dizia: “muito obrigado, chefe, por seu elogio. Meu trabalho será ainda melhor”. No trabalho é assim: elogios e repreensões; apenas a negligência está proibido. Todos sabem que existe poucas negligências naquele departamento, embora hajam confusões meio grandes sobre essa questão e a chefia fica meia dividida sobre isso. Analise as afirmativas abaixo:

1. Há no texto três erros de concordância nominal, se considerada a norma culta.

2. Para que a concordância verbal seja adequada no texto, basta colocar o verbo “existir” no plural: “existem”.

3. O termo “muito obrigado” deveria ser escrito “muito obrigada”.

4. A frase: “A entrada é permitida naquele departamento” está correta de acordo com a concordância nominal.

5. Se no lugar de “proibido” estivesse a palavra “permitida”, haveria erro de concordância verbal.

Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

  • A.

    São corretas apenas as afirmativas 4 e 5.

  • B.

    São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3.

  • C.

    São corretas apenas as afirmativas 1, 3 e 4.

  • D.

    São corretas apenas as afirmativas 2, 4 e 5.

  • E.

    São corretas apenas as afirmativas 3, 4 e 5.

Questão de Concurso - 1177218

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 8

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Todas as frases abaixo apresentam desvio da norma culta, com exceção de uma. Assinale-a.

  • A.

    Eu me simpatizo com você.

  • B.

    Alugam-se casas à beira da praia.

  • C.

    Basta que Vossa Senhoria cumpra vossos compromissos com vossa equipe.

  • D.

    Comunicamos aos interessados sobre a possibilidade de refazerem sua inscrição no concurso.

  • E.

    Entrei para dentro de casa quando começou a chover.

Questão de Concurso - 1177221

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 9

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Assinale a alternativa em que o “a” craseado pode ser substituído por “para a”, justificando o uso correto da crase, como em: “… propor à gerência que ela interiorize a necessidade do elogio”.

  • A.

    Eu vou à Brasília.

  • B.

    Ele voltou à fazenda.

  • C.

    Todos olhamos à praia.

  • D.

    Pediram à ela o documento de identidade.

  • E.

    Imponho à autonomia sempre que necessário.

Questão de Concurso - 1177223

Concurso CIS - Amures Auxiliar Administrativo 2019

Questão 10

Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE)

Nível Médio

Leia o texto, ele contém apenas o ponto final, faltando- lhe as demais pontuações.

Você dançou.

Na gíria dançar tem o sentido de se dar mal Na fábula A cigarra e a formiga as formigas dão um duro danado enquanto a cigarra passa o dia tocando viola e cantando No inverno ela vai pedir abrigo no formigueiro e uma delas pergunta: Por que você não fez uma casa no verão A cigarra explica que estava cantando Batendo a porta na cara da cigarra a formiga diz Então dance agora.

Revista Recreio, no 18

Identifique abaixo as afirmativas verdadeiras ( V ) e as falsas ( F ) sobre o texto.

( ) No texto, são necessárias quatro vírgulas.

( ) As vírgulas no texto dependem da entonação dada à frase; assim, não há como determinar o número delas. Cada leitor as colocará, conforme lhe convier.

( ) Há duas falas de um personagem que deverão ser marcadas com aspas.

( ) São necessários dois pontos para introduzir as falas do personagem.

( ) Como o texto está escrito em linguagem denotativa, ou seja, repleta de homônimos; é possível entendê-lo mesmo sem pontuação.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

  • A.

    V • V • F • V • V

  • B.

    V • F • V • V • V

  • C.

    V • F • V • V • F

  • D.

    F • V • F • V • F

  • E.

    F • F • V • F • F