Questões de Concurso de Morfologia - Língua Portuguesa

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão 1134684

Conselho Regional de Farmácia do Espírito Santo - ES (CRF-ES/ES) 2019

Cargo: Assistente Administrativo e Financeiro / Questão 6

Banca: Instituto Quadrix

Nível: Médio



Em relação ao texto e a seus aspectos linguísticos, julgue os itens de 1 a 7.

A oração “pois pode esconder determinados sintomas” (linhas 6 e 7), coordenada à anterior, tem sentido conclusivo.

  • C. Certo
  • E. Errado

Questão 1150781

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 2019 (3ª edição)

Cargo: Agente Censitário Operacional / Questão 9

Banca: Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível: Médio

Texto 1


Uma propaganda sobre o aniversário de um programa de notícias diz o seguinte:

O maior programa brasileiro de notícias completa 40 anos A história de quatro décadas do programa registra os fatos mais relevantes da história mundial, bem como as evoluções tecnológicas e de tratamento de informação que vêm transformando as comunicações em todo o mundo.


“...que vêm transformando as comunicações em todo o mundo”. Nessa frase do texto 1, empregou-se corretamente o artigo definido após o pronome indefinido todo; a frase abaixo em que esse emprego também está correto é:

  • A.

    Todo o jornal do planeta cobre acontecimentos mundiais;

  • B.

    As notícias aparecem em todas as páginas dos jornais;

  • C.

    Todo o repórter deve trabalhar muito diariamente;

  • D.

    Toda a notícia deve ser checada antes de publicação;

  • E.

    Todo o texto publicitário deve elogiar produtos.

Questão 1143263

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento - Campinas - SP (SANASA/SP) 2019

Cargo: Procurador Jurídico / Questão 13

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Atenção: Para responder às questões de números 9 a 14, baseie-se no texto abaixo.


[O tempo sem rumo] 



As datas deveriam nos fixar no tempo como as coordenadas geográficas nos fixam no espaço, mas a analogia não funciona. O tempo não tem pontos fixos, o tempo é uma sombra que dá a volta na Terra. Ou a Terra é que dá voltas na sombra. Nossa única certeza é que será sempre a mesma sombra – o que não é uma certeza, é um terror.


Na nossa fome de coordenadas no tempo nos convencemos até que dias da semana têm características. Que uma terça-feira, por exemplo, não serve para nada. Que terça é o dia mais sem graça que existe, sem a gravidade de uma segunda – dia de remorso e decisões – e o peso da quarta, que centraliza a semana. Gostaríamos que passar pelos dias fosse como passar por meridianos e paralelos, a evidência de estarmos indo numa direção, não entrando e saindo da mesma sombra. Não passando por cada domingo com a nítida impressão de que já estivemos aqui antes


Já que não há coordenadas e pontos fixos no tempo, contentemo-nos com as metáforas fáceis. Este nosso milênio se estende como um imenso pergaminho à nossa frente, esperando para ser preenchido. Podemos escolher nosso destino, desenhar nossos próprios meridianos e paralelos e prováveis novos mundos. É verdade que a passagem do tempo não se mede apenas pelo retorno aos domingos, também se mede pela degradação orgânica, e que a cada domingo estaremos mais perto daquela sombra que nunca acaba... Nenhum de nós chegará muito longe neste milênio. Mas é bom saber que ele está, aqui, quase inteiro, sempre à nossa espera.


(Adaptado de VERISSIMO, Luis Fernando. Em algum lugar do paraíso. São Paulo: Objetiva, 2011, p. 7) 


 

O autor do texto tem em mira o tempo, ele examina as características do tempo, imputa ao tempo o dom de nos aterrorizar em virtude das consequências que advêm do tempo.

Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados, na ordem dada, por:

  • A.

    o examina as características - imputa-o - advêm-no

  • B.

    lhe examina as características - imputa-lhe - dele advêm

  • C.

    examina-o suas características - lhe imputa - lhe advêm

  • D.

    lhe examina suas características - imputa-lhe - o advêm

  • E.

    lhes examina as características - o imputa - advêm-lhe

Questão 1150786

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 2019 (3ª edição)

Cargo: Agente Censitário Operacional / Questão 10

Banca: Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível: Médio

Texto 2


Notícia publicada na imprensa na penúltima semana de setembro de 2019:

“Tráfico da Rocinha ameaça quem joga lixo na rua Bandidos espalham cartazes em área onde houve deslizamentos de terra nas últimas chuvas, alertando moradores para não despejar detritos em beco. Medida seria tomada porque venda de drogas é interrompida quando a região alaga”.


Sobre a estruturação do texto 2, é INCORRETO afirmar que:

  • A.

    a palavra “tráfico” é empregada em lugar de “traficantes”;

  • B.

    a forma verbal “houve” está empregada corretamente;

  • C.

    a palavra “deslizamentos” deveria ser grafada com S em lugar de Z;

  • D.

    o verbo “despejar” poderia ser substituído por “jogar”;

  • E.

    a palavra “região” se refere aos becos em geral.

Questão 1151905

Ministério Público de São Paulo - SP (MPE/SP) 2019 (3ª edição)

Cargo: Auxiliar de Promotoria - Área: Administrativa / Questão 14

Banca: Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (VUNESP)

Nível: Fundamental

Leia o poema para responder às questões de números 10 a 15.

Um boi vê os homens

Tão delicados (mais que um arbusto) e correm e correm de um para o outro lado, sempre esquecidos de [alguma coisa.

Certamente falta-lhes não sei que atributo essencial, posto se apresentem nobres e graves, por vezes. Ah, espantosamente graves, até sinistros. Coitados, dir-se-ia que não escutam nem o canto do ar nem os segredos do feno, como também parecem não enxergar o que é visível e comum a cada um de nós, no espaço. E ficam tristes e no rasto da tristeza chegam à crueldade. Toda a expressão deles mora nos olhos – e perde-se a um simples baixar de cílios, a uma sombra. Nada nos pelos, nos extremos de inconcebível fragilidade, e como neles há pouca montanha, e que secura e que reentrâncias e que impossibilidade de se organizarem em formas calmas, permanentes e [necessárias.

Têm, talvez, certa graça melancólica (um minuto) e com isto se fazem perdoar a agitação incômoda e o

[translúcido vazio interior

que os torna tão pobres e carecidos de emitir sons absurdos

                                                                            [e agônicos:

desejo, amor, ciúme (que sabemos nós), sons que se despedaçam e tombam no campo como pedras aflitas e queimam a erva e a água, e difícil, depois disto, é ruminarmos nossa verdade.

(Carlos Drummond de Andrade. Reunião: 10 livros de poesia. Ed. José Olympio. São Paulo, 1977).

A alternativa cuja palavra destacada, retirada do poema, atribui uma qualidade ao vocábulo anterior é:

  • A.

    sabemos nós.

  • B.

    atributo essencial.

  • C.

    um arbusto.

  • D.

    alguma coisa.

  • E.

    depois disto.

Questão 1132050

Câmara Municipal de Fortaleza - CE (CM - Fortaleza/CE) 2019

Cargo: Médico Clínico Geral / Questão 16

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

A flexão do verbo em destaque deve-se ao elemento sublinhado em:

  • A.

    A amizade anda por caminhos que não passam por programas.

  • B.

    Se o silêncio entre vocês lhe causa ansiedade

  • C.

    Pode até ser útil eventualmente, mas não é isso que o torna um amigo.

  • D.

    terminado o alegre e animado programa, vêm o silêncio e o vazio, que são insuportáveis.

  • E.

    Bastava a alegria de estarem juntos.

Questão 1144459

Ministério Público do Rio de Janeiro - RJ (MPE/RJ) 2019

Cargo: Técnico do Ministério Público - Área Administrativa / Questão 18

Banca: Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível: Médio

Texto 3


Os velhos estão sempre aconselhando os jovens a guardar dinheiro. Digo que este é um mau conselho. Não guardem um centavo; invistam em si mesmo apenas. Eu nunca economizei um dólar sequer antes dos 40 anos de idade. (Henry Ford) 

Velhos e jovens no texto 3 são originalmente adjetivos que se encontram substantivados; o mesmo ocorre na seguinte frase:

  • A.

    Os homens realmente educados são os autodidatas;

  • B.

    O que a escultura faz ao mármore, a instrução faz à alma humana;

  • C.

    Você é único. Se isso não é suficiente, algo se perdeu;

  • D.

    É difícil uma pessoa sentir-se confortável sem ter a própria aprovação;

  • E.

    O homem sem educação é a caricatura de si mesmo.

Questão 1131240

Câmara Municipal de Fortaleza - CE (CM - Fortaleza/CE) 2019

Cargo: Agente Administrativo / Questão 3

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Médio

Em Os mesmos assessores tinham sugerido que se concentrasse em aposentados, pessoas que sabidamente ganham pouco (2o parágrafo), o pronome sublinhado refere-se a

  • A.

    aposentados.

  • B.

    Deus.

  • C.

    vítima.

  • D.

    assessores.

  • E.

    Diabo.

Questão 1131554

Câmara Municipal de Fortaleza - CE (CM - Fortaleza/CE) 2019

Cargo: Consultor Técnico Legislativo / Questão 5

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Em e menos ainda o inexplicável de alguns casos. (1º parágrafo) e Um, por exemplo, um rapaz bronco e vilão, (1º parágrafo), os termos sublinhados constituem

  • A.

    advérbio e adjetivo, respectivamente.

  • B.

    substantivo e adjetivo, respectivamente.

  • C.

    substantivos.

  • D.

    adjetivos.

  • E.

    adjetivo e substantivo, respectivamente.

Questão 1142268

Ministério Público do Mato Grosso - MT (MPE/MT) 2019

Cargo: Promotor de Justiça Substituto / Questão 6

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se de modo a concordar com o elemento sublinhado na frase:

  • A.

    É injusto que se (atribuir) aos homens de uma época o ônus de consequências que eles não podiam prever.

  • B. Nos últimos cinco séculos de nossa história (haver) revoluções que alteraram fundamentalmente os modos de produção.
  • C.

    Não (caber) aos homens de uma época projetar as etapas seguintes do progresso, buscar prever o imprevisível.

  • D.

    Ao se (desfazer) as certezas absolutas, um improviso criativo ganha uma importância fundamental.

  • E.

    As perguntas que não se (colocar) a um historiador tendem a ser provocadas pelo próprio curso dos fatos históricos.