Questões de Concurso de Período composto por coordenação - Língua Portuguesa

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão de Concurso - 1204252

Concurso TJ/RN Técnico de Suporte 2020

Questão 10

Comissão Permanente do Vestibular / UFRN (COMPERVE)

Nível Médio

O texto abaixo servirá de base para as questões de Língua Portuguesa.

Óculos com luz e joia no rosto são novas armas contra reconhecimento facial

Letícia Naísa

A indústria fashion começa a oferecer produtos para quem não quer ser reconhecido por câmeras de vigilância. Podem ser óculos que emitem luz, joias que confundem o scanner facial ou máscaras que distorcem as feições. A rápida expansão da tecnologia de reconhecimento inspirou a artista polonesa Ewa Nowak a criar máscaras para driblar as autoridades. Feitas de metal, as joias prometem embaralhar os algoritmos e impedir que os rostos sejam reconhecidos por câmeras.

O projeto foi chamado de "Incognito" e consiste em um tipo de óculos que cobre parte da testa e das maçãs do rosto. "Este projeto foi precedido por um estudo de longo prazo sobre forma, tamanho e localização dos elementos da máscara para que ela realmente cumprisse sua tarefa", escreve Nowak em sua página. Segundo ela, a máscara foi testada no algoritmo DeepFace, do Facebook, e passou na prova: seu rosto não foi reconhecido.

Ainda há muito debate e muita pesquisa em torno da eficiência da tecnologia de reconhecimento facial, especialmente com os falsos positivos: a câmera diz que uma pessoa é, na verdade, outra. Especialistas apontam que ainda há muitas falhas em reconhecer rostos fora do padrão de homens brancos. "Se a gente aplica essas tecnologias de maneira errônea e ela indica que o meu rosto é de uma pessoa suspeita, a tendência é que oficiais deem crédito ao equívoco, e abre-se margem a abuso policial, porque tem indício de que você é uma pessoa suspeita e aí pode-se inverter o princípio da inocência, que é fundamental", afirma Joana Varon, diretora executiva da Coding Rights, organização de defesa dos direitos humanos na internet.

A preocupação com o reconhecimento facial tem crescido nos últimos anos, visto que a tecnologia tem sido usada para fins de segurança pública e privada e de marketing. No Brasil, a novidade já chegou. Durante o carnaval deste ano, um homem foi preso depois de ser reconhecido por uma câmera, e a ViaQuatro do metrô paulista foi impedida de usar o reconhecimento facial. O debate sobre a regulamentação da tecnologia está previsto na Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor em agosto de 2020.

Para Pollyana Ferrari, professora da PUC-SP e pesquisadora de mídias sociais, é preciso que os governos regulamentem o uso de nossas "pegadas digitais", sejam likes, compras, navegação ou biometria. "Os riscos da tecnologia são os usos não declarados; na maior parte das vezes, não sabemos o que será feito da nossa biometria", diz. "Cada vez a driblamos menos", afirma.

Quanto à eficiência do Incognito, as especialistas ainda são céticas, mas Varon reconhece que há uma tendência na tentativa de hackear o sistema de vigilância da tecnologia de reconhecimento facial. O próprio "Incognito" foi inspirado em um projeto japonês que criou óculos com luzes que impedem a tecnologia de reconhecer rostos. Em Hong Kong, durante a onda de protestos na China, os jovens usaram máscaras, lenços e lasers para enganar as câmeras.

Para Varon, a via legislativa e moratórias para uso da tecnologia são vias eficientes. Nos Estados Unidos, algumas cidades já baniram o uso de reconhecimento facial na segurança e impediram empresas que desenvolvem softwares de venderem para esse fim. "O que funciona é ter uma visão crítica e ampliar o debate sobre quão nocivo pode ser o uso dessa tecnologia, seja por discriminação de pessoas, seja por coleta abusiva de expressões faciais, sentimentos, humores, visando manipular mentes, e o debate sobre o guardo e o compartilhamento desses dados, que são extremamente sensíveis", afirma.

Para Ferrari, o projeto enquanto artístico é válido. "O papel da arte sempre foi nos tirar da zona de conforto. Então, esse movimento que se declara contra a vigilância governamental e corporativa, com joias, óculos de LED e máscaras, é bem oportuno, pois nos alerta para algo que já nos afeta diariamente", opina.

Disponível em: https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2019/10/30/artista-cria-mascara-anti-reconhecimento-facial.htm. Acesso em: 27 jan. 2020. [Adaptado]

Para responder às questões 08, 09 e 10, considere o excerto transcrito abaixo.

A preocupação com o reconhecimento facial tem crescido nos últimos anos, visto que a tecnologia tem sido usada para fins de segurança pública e privada e de marketing. No Brasil, a novidade já chegou. Durante o carnaval deste ano, um homem foi preso depois de ser reconhecido por uma câmera, e a ViaQuatro do metrô paulista foi impedida de usar o reconhecimento facial. O debate sobre a regulamentação da tecnologia está previsto na Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor em agosto de 2020.

O último período do excerto é composto por

  • A.

    duas orações, sendo uma subordinada.

  • B.

    duas orações, sendo uma coordenada.

  • C.

    três orações, sendo duas subordinadas e uma coordenada.

  • D.

    três orações, sendo duas coordenadas e uma subordinada.

Questão de Concurso - 1137986

Concurso Guarda Municipal 2019

Questão 4

Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC)

Nível Médio

Leia o texto abaixo para responder as questões 3 e 4.

“Dá pra viver
Mesmo depois de descobrir que o mundo ficou mau
É só não permitir que a maldade do mundo
Te pareça normal
Pra não perder a magia de acreditar
Na felicidade real
E entender que ela mora no caminho
E não no final” (Kell Smith)

Observe: “É só não permitir que a maldade do mundo te pareça normal”. De acordo com as regras de Sintaxe da Oração e Período, assinale a alternativa correta.

  • A.

    No enunciado, há a presença de oração subordinada adversativa.

  • B.

    No enunciado, há a presença de oração subordinada substantiva objetiva direta.

  • C.

    No enunciado, há a presença de oração coordenada completiva nominal.

  • D.

    No enunciado, há a presença de oração coordenada adverbial causal.

Questão de Concurso - 939573

Concurso IPRESB Analista de Processos Previdenciários 2017

Questão 4

Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (VUNESP)

Nível Superior

Assinale a alternativa em que se identifica corretamente, nos parênteses, a relação de sentido que o trecho destacado estabelece com o restante do enunciado.
  • A. … uma ideologia francamente racista, como a defendida pelos organizadores da marcha (Modo).
  • B. Como a democracia nos EUA nunca foi seriamente ameaçada por grupos extremistas domésticos, não dá para dizer (Comparação).
  • C. Fica claro, porém, que o país se vale de outros mecanismos (sociais) para manter o radicalismo sob controle (Causa).
  • D. … usar a lei para silenciar esses grupos também não é uma solução satisfatória, pois viola outro pressuposto essencial da democracia (Explicação).
  • E. … como lidar com aqueles que negam seus princípios elementares, mas não chegam a conspirar para dar um “putsch” (Condição).

Questão de Concurso - 1133093

Concurso SMASDH Administrador 2019

Questão 3

Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC)

Nível Superior

Leia com atenção o trecho "tanto o vulgo como os homens de cultura superior dizem ser esse fim a felicidade e identificam o bem viver e o bem agir como o ser feliz". É correto afirmar que o enunciado acima possui:

  • A.

    orações subordinadas assindéticas substantivas.

  • B.

    orações coordenadas sindéticas aditivas.

  • C.

    orações subordinadas sindéticas explicativas.

  • D.

    orações coordenadas sindéticas adverbiais.

Questão de Concurso - 1151317

Concurso Agente Municipal de Trânsito e Transporte 2019

Questão 4

Centro de Extensão, Treinamento e Aperfeiçoamento Profissional Ltda (CETAP)

Nível Médio

Leia o texto e responda o que se pede no comando das questões.

Lovelace

A programação de computadores é vista como uma área majoritariamente masculina, mas sua criadora foi uma mulher. 


       Filha da baronesa Anne lsabella Mibankle, conhecida como "princesa dos paralelogramas" por causa de sua paixão por pollgonos, e do principal nome do romantismo do século 19, Lord Byron, Augusta Ada Byron uniu a paixão de seus dois pais: a ciência e a poesia. 

       Foi criada apenas pela mãe, após uma separação tumultuosa. Anne queria que a filha ficasse o mais longe possível do estilo de vida boêmio do pai, por isso a incentivou a estudar matemática, uma área incomum para as mulheres da época. Aos 12 anos, a menina ficou obcecada com a ideia de voar. Estudou a anatomia dos pássaros para determinar o equilíbrio entre o tamanho das asas e o peso do corpo, e escreveu seu primeiro livro, Flyology, em que detalhou projetos para a construção de um aparelho de voo.

       Já aos 17, encantou-se com a invenção do matemático inglês Charles Babbage: a máquina analítica (uma espécie de avô do computador) que servia para fazer cálculos. Queria ser sua aluna e enviou várias cartas com esse pedido, sendo constantemente rejeitada. Até que ela traduziu para o inglês um artigo publicado pelo cientista em uma revista suíça, fazendo apontamentos e adicionando notas de rodapé. O trabalho impressionou Charles, que aceitou pesquisar em conjunto.

       Ada também amava poesia. Ela via beleza na lógica e na matemática, que chamava de "ciência poética". Com essa forma de olhar para as máquinas, ela expandiu o potencial da criação de Babbage. Ela percebeu, teoricamente, que a máquina poderia ser programada e reprogramada para desempenhar várias tarefas além dos cálculos previstos no projeto inicial, como resolver questões de lógica, interpretar palavras etc. Assim, criou algoritmos que seriam base para os programas de computadores, que adicionam uma camada de abstração às máquinas. Sua invenção daria origem aos computadores anos mais tarde. Em suas notas trouxe um questionamento: as máquinas pensam? Já imaginava a ideia de inteligência artificial.

       Apesar de ser a primeira pessoa a conceber um programa, por muito tempo Ada não teve reconhecimento, e estudiosos questionavam até se ela o havia escrito. Mais de cem anos após sua morte, seu nome voltou a ser foco quando o pai da computação, Alan Turing, usou seus escritos para construir o primeiro computador, dando a devida importância para a cientista. Ada Lovelace -o sobrenome é do marido, Conde de Lovelace - morreu aos 36 anos, mesma idade de Lord Byron ao falecer. Apesar de nunca terem convivido, pediu para ser enterrada ao seu lado. 
                                                                                                                                                                                                                 Fonte: Dossiê Super Interessante, p. 8.


Excerto para as questões 2, 3 e 4.

"A programação de computadores é vista como uma área majoritariamente masculina, mas sua criadora foi uma mulher."

É correto afirmar sobre o período:

  • A.

    É composto apenas por subordinação.

  • B.

    É composto apenas por coordenação.

  • C.

    É composto por coordenação e subordinação.

  • D.

    É simples com oração coordenada adversativa.

Questão de Concurso - 1178536

Concurso PM/RR Soldado da Polícia Militar 2018

Questão 11

Universidade Estadual de Roraima (UERR)

Nível Médio

TEXTO II

A TRISTE PARTIDA

Patativa do Assaré


Meu Deus, meu Deus. . .

Setembro passou

Outubro e Novembro

Já tamo em Dezembro

Meu Deus, que é de nós,

Meu Deus, meu Deus

Assim fala o pobre

Do seco Nordeste

Com medo da peste

Da fome feroz

Ai, ai, ai, ai


A treze do mês

Ele fez experiência

Perdeu sua crença

Nas pedras de sal,

Meu Deus, meu Deus

Mas noutra esperança

Com gosto se agarra

Pensando na barra

Do alegre Natal

Ai, ai, ai, ai


Rompeu-se o Natal

Porém barra não veio

O sol bem vermeio

Nasceu muito além

Meu Deus, meu Deus

Na copa da mata

Buzina a cigarra

Ninguém vê a barra

Pois a barra não tem

Ai, ai, ai, ai


Sem chuva na terra

Descamba Janeiro,

Depois fevereiro

E o mesmo verão

Meu Deus, meu Deus

Entonce o nortista

Pensando consigo

 Diz: "isso é castigo

não chove mais não"

Ai, ai, ai, ai


Apela pra Março

Que é o mês preferido

Do santo querido

Senhor São José

Meu Deus, meu Deus

Mas nada de chuva

Tá tudo sem jeito

Lhe foge do peito

O resto da fé

Ai, ai, ai, ai


Agora pensando

 Ele segue outra tria

Chamando a famia

Começa a dizer

Meu Deus, meu Deus

Eu vendo meu burro

Meu jegue e o cavalo

Nós vamos a São Paulo

Viver ou morrer

Ai, ai, ai, ai


Nós vamos a São Paulo

Que a coisa tá feia

Por terras alheia

Nós vamos vagar

Meu Deus, meu Deus

Se o nosso destino

Não for tão mesquinho

Cá e pro mesmo cantinho

Nós torna a voltar

Ai, ai, ai, ai


E vende seu burro

Jumento e o cavalo

Inté mesmo o galo

Venderam também

Meu Deus, meu Deus

Pois logo aparece

Feliz fazendeiro

Por pouco dinheiro

Lhe compra o que tem

Ai, ai, ai, ai


Em um caminhão

Ele joga a famia

Chegou o triste dia

Já vai viajar

Meu Deus, meu Deus

A seca terrível

Que tudo devora

Lhe bota pra fora

Da terra natá

Ai, ai, ai, ai


O carro já corre

No topo da serra

Oiando pra terra

Seu berço, seu lar

Meu Deus, meu Deus

Aquele nortista

Partido de pena

De longe acena

Adeus meu lugar

Ai, ai, ai, ai


No dia seguinte

Já tudo enfadado

 E o carro embalado

Veloz a correr

Meu Deus, meu Deus

Tão triste, coitado

Falando saudoso

Seu filho choroso

Exclama a dizer

Ai, ai, ai, ai


De pena e saudade

Papai sei que morro

Meu pobre cachorro

Quem dá de comer?

Meu Deus, meu Deus

Já outro pergunta

Mãezinha, e meu gato?

Com fome, sem trato

Mimi vai morrer

Ai, ai, ai, ai


E a linda pequena

Tremendo de medo

"Mamãe, meus brinquedo

Meu pé de fulô?"

Meu Deus, meu Deus Meu pé de roseira

Coitado, ele seca

E minha boneca

Também lá ficou

Ai, ai, ai, ai


E assim vão deixando

Com choro e gemido

Do berço querido

Céu lindo azul

Meu Deus, meu Deus

O pai, pesaroso

Nos filho pensando

E o carro rodando

Na estrada do Sul

Ai, ai, ai, ai


Chegaram em São Paulo

Sem cobre quebrado

E o pobre acanhado

Procura um patrão

Meu Deus, meu Deus

Só vê cara estranha

De estranha gente

Tudo é diferente

Do caro torrão

Ai, ai, ai, ai


Trabaia dois ano,

Três ano e mais ano

E sempre nos prano

De um dia vortar

Meu Deus, meu Deus

Mas nunca ele pode

Só vive devendo

E assim vai sofrendo

É sofrer sem parar

Ai, ai, ai, ai


Se arguma notícia

Das banda do norte

Tem ele por sorte

O gosto de ouvir

Meu Deus, meu Deus

Lhe bate no peito

Saudade lhe molho

E as água nos óio

Começa a cair

Ai, ai, ai, ai


Do mundo afastado

Ali vive preso

Sofrendo desprezo

Devendo ao patrão

Meu Deus, meu Deus

O tempo rolando

Vai dia e vem dia

E aquela famia

Não vorta mais não

Ai, ai, ai, ai


Distante da terra

Tão seca mas boa

Exposto à garoa

À lama e o paú

Meu Deus, meu Deus

Faz pena o nortista

Tão forte, tão bravo

Viver como escravo

No Norte e no Sul

Ai, ai, ai, ai

Identifique a alternativa em que existe oração assindética com classificação da oração coordenada correspondente a “Nós vamos a São Paulo/ Que a coisa tá feia”( Estrofe 07)

  • A.

    Meu Deus, Meu Deus/ Mas nada de chuva (Estrofe 05)

  • B.

    No dia seguinte/ Já tudo enfadado/ E o carro embalado (Estrofe 11)

  • C.

    Diz: “isso é castigo/ não chove mais não” (Estrofe 04)

  • D.

    Meu Deus, Meu Deus/ Mas nunca ele pode (Estrofe 16)

  • E.

    Saudades lhe molho/ E as águas nos óio/ Começa a cair (Estrofe 17)

Questão de Concurso - 1163560

Concurso Professor de Ciências 2019

Questão 10

Instituto de Consultoria e Concursos (ITAME)

Nível Superior

Em: “Choveu porque a rua está alagada.” / “Joana sumiu na festa, porque ninguém mais a viu.”


Têm-se orações:

  • A.

    Subordinadas adverbiais temporais.

  • B.

    Subordinadas adverbiais conclusivas.

  • C.

    Coordenadas sindéticas explicativas.

  • D.

    Coordenadas assindéticas adversativas.

Questão de Concurso - 128788

Concurso BESC Assistente Administrativo 2004

Questão 13

Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Nível Médio

Assinale a alternativa em que o período seja composto exclusivamente por coordenação.

  • A.

    "O governo foi neutro, os investimentos caíram, e, especialmente, reduziu- -se o consumo das famílias, que responde por algo como 60% do PIB total." (L.6-7)

  • B.

    "A massa total de rendimentos do trabalho caiu 3,5% em 2001, 5,6% em 2002 e deverá ter encolhido 6,8% em 2003." (L.15-16)

  • C.

    "Com perda de rendimento desta magnitude e grandes dificuldades de encontrar ocupação, o trabalhador está desanimado com o presente (embora siga esperançoso com o futuro) e trata de pagar contas em atraso." (L.17-19)

  • D.

    "A inadimplência do comprador está num nível historicamente baixo, como revelam os dados da Serasa e do SPC." (L.19-21)

  • E.

    "Com o mercado interno tão reduzido pela contínua queda na renda do consumidor, serão necessários vários anos de crescimento continuado para recuperarmos o que se perdeu." (L.46-48)

Questão de Concurso - 943540

Concurso

Questão 9

Nível

Assinale a alternativa em que está destacada uma oração coordenada explicativa.
  • A. Peço que te cales.
  • B. O homem é um animal que pensa.
  • C. Ele não esperava que a mãe o perdoasse.
  • D. Leve-a até o táxi, que ela precisa ir agora.
  • E. É necessário que estudes.

Questão de Concurso - 992724

Concurso

Questão 5

Nível

Em ...teremos de enfrentar por muito tempo ainda, pois não há perspectiva..., as orações mantêm entre si uma relação de
  • A. dependência.
  • B. subordinação.
  • C. justaposição.
  • D. coordenação.