Questões de Concurso de Predicativo do sujeito - Língua Portuguesa

Ver outros assuntos dessa disciplina Navegar questão a questão

Questão de Concurso - 1206512

Concurso

Questão 3

Nível


Acerca das ideias e de aspectos linguísticos do texto precedente, julgue os itens a seguir.

Visto que ocorre verbo de ligação em “serᔠ(l. 9 e 12), então podemos saber que os termos subsequentes “liderada” (l. 9) e “responsável” (l. 12) estão ambos empregados na função de predicativo do sujeito.

  • C. Certo
  • E. Errado

Questão de Concurso - 1132071

Concurso Orientador Educacional 2018

Questão 10

FUNDATEC Processos Seletivos (FUNDATEC)

Nível Superior

Analise o trecho a seguir retirado do texto: ‘“O uso (1) da tecnologia para aliviar os congestionamentos (2) e buscar fontes de energia renováveis é benéfico (3), mas precisamos tomar cuidado com ideias corporativas de monetizar tudo (4) na cidade (5) e introduzir regimes de vigilância”. Considerando os termos sublinhados e numerados, assinale a alternativa que apresenta o número correspondente ao termo que pode ser classificado sintaticamente como predicativo do sujeito.

  • A.

    1.

  • B.

    2.

  • C.

    3.

  • D.

    4.

  • E.

    5.

Questão de Concurso - 1150551

Concurso Enfermeiro 2019

Questão 6

Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC)

Nível Superior

Leia o texto “Como o conceito tradicional de masculinidade afeta os meninos?” dos escritores Tory Oliveira e Paula Calçade, para responder às questões de 1 a 8 a seguir.




                                                             Como o conceito tradicional de masculinidade afeta os meninos? (adaptado)




Deixar de dizer que ama um amigo, não poder abraçar quem se gosta, esconder seus sentimentos e não poder chorar. Para muitos meninos, essas são algumas das regras não escritas das masculinidades. Nascido dos debates sobre gênero, o conceito de masculinidades abarca as regras sociais delimitadas aos homens para que eles construam sua maneira de agir consigo, com o outro e com a sociedade. Muito cedo se aprende que a pena para quem não seguir um código estrito, que define a masculinidade, é ser visto como “menos homem”, associado à feminilidade, e, assim, estar vulnerável à violência e ao bullying dos pares.


Segundo Marcelo Hailer, pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças, da PUC- SP, “A narrativa social valoriza homens brancos, heterossexuais, fortes, com condições econômicas favoráveis”. Para o pesquisador, a escola pode ser um campo de cobranças dessa performance masculina. A ausência de discussões sobre o impacto disso para meninos e meninas pode resultar em violência dentro do ambiente escolar. “Enquanto não houver debate nas escolas, esses valores vão continuar resultando em violência física e psicológica, porque não há outras alternativas para essas crianças lidarem com as angústias e dúvidas em outros lugares também”.


“A maneira como os garotos são criados faz com que aprendam a esconder os sentimentos por trás de uma máscara de masculinidade” afirma o psicólogo americano William Pollack no documentário “A Máscara em Que Você Vive” (2015). Disponível atualmente na Netflix, o filme introduz o debate sobre masculinidades de maneira acessível, mostrando como essa construção rígida do que é ser homem impacta a vida, a educação e a saúde de meninos. “Os homens têm dificuldade de expressar aquilo que sentem. Em geral, isso se dá por meio da violência: quando está triste, com raiva, quando sente medo ou insegurança, em todos esses aspectos, a violência é uma fuga muito grande. Temos uma dificuldade de entender os sentimentos e de lidar com eles de maneira não violenta”, explica Caio César Santos, professor de Geografia, youtuber e pesquisador de masculinidades desde 2015.


(Fonte: Nova Escola)

No trecho “Em geral, isso se dá por meio da violência: quando está triste, com raiva, quando sente medo ou insegurança, em todos esses aspectos, a violência é uma fuga muito grande.” Assinale a alternativa correta que classifica, sintática e respectivamente, os trechos grifados.

  • A.

    Locução Adverbial de Modo; Objeto Direto.

  • B.

    Adjunto Adverbial de Modo; Predicativo do Sujeito.

  • C.

    Locução Adverbial de Modo; Aposto.

  • D.

    Adjunto Adverbial de Modo; Adjunto Adverbial de Intensidade.

Questão de Concurso - 1145643

Concurso Sargento - Especialidade: Administração 2018

Questão 17

Departamento de Ensino da Aeronáutica (DEPENS)

Nível Médio

Assinale a alternativa em que os termos destacados estão corretamente classificados.

  • A.

    O encontro dos jovens foi emocionante. (predicativo do sujeito)

  • B.

    O sótão daquela velha mansão está cheio de morcegos. (predicativo do objeto)

  • C. Meu pai e meu avô achavam ótimo qualquer filme de terror. (predicativo do objeto)
  • D.

    Teu silêncio gélido fulmina meu coração já cansado de gritar por teu amor. (predicativo do sujeito)

Questão de Concurso - 1145673

Concurso Sargento - Especialidade: Administração 2018

Questão 28

Departamento de Ensino da Aeronáutica (DEPENS)

Nível Médio

Há predicativo do sujeito em qual alternativa?

  • A.

    O silêncio ensurdecedor até agredia os ouvidos naquela calma manhã.

  • B.

    Naquela triste manhã de primavera, a chuva caía fria sobre a cidade.

  • C.

    Alegres e saltitantes sabiás faziam festa sobre a branca areia da praia.

  • D.

    O rei da floresta, naquela tarde, julgou o cãozinho inocente pelo sumiço do gato.

Questão de Concurso - 1054736

Concurso Sargento 2019

Questão 19

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR)

Nível Superior

Nos versos " Tu és mulher pra homem nenhum/ Botar defeito, por isso satisfeito/ Com você eu vou dançar ", a correta classificação sintática do termo em destaque é
  • A. complemento nominal.
  • B. predicativo do sujeito.
  • C. predicativo do objeto.
  • D. adjunto adnominal.

Questão de Concurso - 1143738

Concurso TRE/AM Técnico Judiciário - Área Administrativa 2013

Questão 5

Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC)

Nível Médio

Texto

Gente-casa

Existe gente-casa e gente-apartamento. Não tem nada a ver com tamanho: há pessoas pequenas que você sabe, só de olhar, que dentro têm dois pisos e escadaria, e pessoas grandes com um interior apertado, sala e quitinete. Também não tem nada a ver com caráter. Gente-casa não é necessariamente melhor do que gente-apartamento. A casa que alguns têm por dentro pode estar abandonada, a pessoa pode ser apenas uma fachada para uma armadilha ou um bordel. Já uma pessoa apartamento pode ter um interior simples mas bem ajeitado e agradável. E muito melhor conviver com um dois quartos, sala, cozinha e dependências do que com um labirinto.

Algumas pessoas não são apenas casas. São mansões. Com sótão e porão e tudo que eles,comportam, inclusive baús antigos, fantasmas e alguns ratos. E fascinante quando alguém que você não imaginava ser mais do que um apartamento com, vá lá, uma suíte, de repenJe se revela um sobrado com pátio interno, adega e solário. E sempre arriscado prejulgar: você pode começar um relacionamento com alguém pensando que é um quarto-e-sala conjugado e se descobrir perdido em corredores escuros, e quando abre a porta, dá no quarto de uma tia louca. Pensando bem, todo mundo tem uma casa por dentro, ou no mínimo, bem lá no fundo, um porão. Ninguém é simples. Tudo, afinal, é só a ponta de um iceberg (salvo ponta de iceberg, que pode ser outra coisa) e muitas vezes quem aparenta ser apenas uma cobertura funcional com qrt. sal. lavab. e coz. só está escondendo suas masmorras.

(VERÍSSIMO, Luis Fernando.O Melhor das Comédias da Vida Privada. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004)

"Algumas pessoas não são apenas casas. São mansões." Ocorre entre essas duas orações um paralelismo de estruturas sintáticas que contribui, inclusive, para a coesão textual. Sendo assim, assinale a opção em que se faz uma análise correta sobre os termos que as formam.

  • A.

    Ambas possuem o mesmo sujeito, sendo também idênticas as classificações que eles recebem nas duas ocorrências.

  • B.

    Em cada uma delas, ocorre um predicativo do sujeito que apresenta, porém, valores semânticos distintos.

  • C.

    Os verbos que as formam são transitivos diretos.

  • D.

    "Algumas" e "não", na primeira oração, são exemplos de adjuntos adverbiais.

Questão de Concurso - 1138579

Concurso PC/RO Agente de Polícia 2014

Questão 9

Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (FUNCAB)

Nível Superior

Leia o texto abaixo e responda às questões propostas.



                                                                                                                     A liberdade chega aos morros


Ao fincar a bandeira do Brasil e a do Batalhão de Operações Especiais (Bope) numa laje que servia como QG de traficantes, um grupo de policiais da tropa de elite do Rio de Janeiro marcava, na semana passada, a retomada do poder em um conjunto de sete violentas favelas da Zona Norte - a maior operação dessa natureza já feita em morros cariocas. Ela é parte de um programa para estabelecer bases permanentes da polícia em áreas sob o jugo do tráfico, as cham adas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que já devolveram ao estado o controle de territórios em catorze favelas. Nas mãos de criminosos portrês décadas e palco de sangrentos confrontos entre policiais e traficantes, o Borel, o maior entre os morros ocupados na última quarta-feira, chamou atenção: enquanto os 280 PMs tomavam as vielas, não se ouviu ali um único tiro. Cena rara, ela é o retrato de uma ação planejada nos últimos seis meses, que envolveu o setor de inteligência da polícia e foi precedida de quatro operações menores, nas quais já haviam sido capturados traficantes como Bill do Borel, o chefão local. Além disso, o Secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, decidiu tornar púbiica a operação, com o propósito declarado de provocara debandada dos bandidos - o que de fato ocorreu. Dai só ter havido uma prisão. Justifica Beltrame: “Se estivessem lá, jamais conseguiriamos retomar o poder sobre territórios sem um banho de sangue”

Isso faz refletir sobre a real capacidade de o estado reaver o comando nos morros mais lucrativos para o tráfico que o Borel, de onde os bandidos evidentem ente não querem sair. Diz Pedro Strozenberg, especialista em segurança pública: “A ocupação dessas favelas pelo poder público vai requerer muito mais homens e uma verdadeira estratégia de guerra, algo que não se viu até aqui". É o caso do Complexo do Alemão, também na Zona Norte, o maior conjunto de favelas do Rio, com 130 000 habitantes (justamente onde estão refugiados agora os traficantes do Borel, segundo a polícia). Estima-se que circulem por ali 300 bandidos armados com mais de uma centena de fuzis de guerra. Outra dificuldade em tomar o complexo das mãos dos traficantes diz respeito à sua intrincada geografia: entrecortado de morros acidentados que atingem quase 200 metros de altura e pontuado por centenas de vielas labirínticas, o Alemão impõe um grau de dificuldade à polícia que não se compara ao do Borel - mas é preciso que ela o ocupe.

Adecisão do estado de retomar o controle das favela s ca rioca s rompe com a lógica da complacência e da frouxidão com a bandidagem, que contaminou as políticas de segurança pública do Rio nas últimas décadas. A atual experiência das UPPs reforça a ideia de que com planejamento e uma gestão a salvo de ingerências políticas, é possível, sim, combater a criminalidade. A ocupação das favelas pela polícia também ajuda a desconstruir o mito de que os bandidos ali encastelados compõem um grupo de criminosos tão organizados quanto invencíveis. Eles não o são. Quando o estado se impõe, os resultados se fazem notar - e a cidade como um todo se beneficia disso. Para se ter uma ideia, no entorno das áreas em que as UPPs foram implantadas, os imóveis se valorizaram até 300% em um ano e a frequência escolar subiu 30%. Avanços como esses em lugares tão pobres e violentos não deixam dúvida quanto à necessidade de que essa política seja perm anente-e irreversível.


                                                                                                                                                                                                    (FRANÇA, Ronaldo. Revista Veja, 05/05/2010.)


O termo destacado em: “Além disso, o Secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, decidiu tornar PÚBLICA a operação...” exerce a seguinte função sintática:

  • A.

    predicativo do objeto.

  • B.

    objeto direto

  • C.

    predicativo do sujeito.

  • D.

    objeto indireto.

  • E.

    adjunto adnominal.