Medicina Especialidade Alergologia

Uma paciente de doze anos de idade, proveniente do Quênia há vinte dias, foi internada com quadro de febre diária há quinze dias, mal-estar, icterícia, dor abdominal intensa, falta de ar e hematúria macroscópica. Ao exame físico, apresentava-se em mau estado geral, ictérica ++/4+, descorada +++/4+, com palidez acentuada, ortopneica, edemaciada, com FR de 30 irpm, FC de 160 bpm, temperatura de 39 ºC, PA de 80 x 50 mmHg e saturação periférica de O2 de 90% em ar ambiente. Ausculta Pulmonar: murmúrio vesicular presente e diminuído bilateralmente, com alguns estertores crepitantes finos em ambas as bases. Ausculta Cardíaca: bulhas rítmicas normofonéticas e taquicárdicas e segunda bulha desdobrada, sem sopros. Abdome tenso, depressível, com resistência voluntária à palpação, fígado endurecido e doloroso, palpável a 6 cm do rebordo costal direito, baço a 4 cm do rebordo costal esquerdo. Edema de membros inferiores ++/4+. Tempo de enchimento capilar de 3 s. Durante a análise do hemograma, foram encontrados P. falciparum (mais de 5.000 parasitas/μL de sangue). Realizou, ainda, o raio-X de tórax mostrado abaixo.

Considerando esse caso hipotético, assinale a alternativa correta.

  • A. A partir dos dados clínicos e epidemiológicos da paciente, o medicamento de escolha será a cloroquina.
  • B. Dengue, chikungunya e leptospirose fazem parte do diagnóstico diferencial da malária.
  • C. A paciente encontra-se com quadro de choque compensado.
  • D. Os dados apresentados permitem afastar suspeita de infecção bacteriana associada.
  • E. Não há critérios clínicos suficientes para classificar o caso descrito como forma grave da doença.