Medicina Especialidade Anestesiologia

Uma gestante de 36 semanas e cinco dias deu entrada no PS referindo contrações regulares e dolorosas de piora progressiva. Ao exame, foram observados dinâmica uterina de três contrações em dez minutos, colo do útero pérvio para 5 cm, apresentação cefálica e bolsa íntegra. Exames de pré-natal mostravam Elisa para HIV não reagente e VDRL não reagente. Não havia informações acerca da pesquisa de estreptococo em swabs vaginal e anal.

Considerando-se essa situação hipotética, é correto afirmar que

  • A. deva ser iniciado o uso de ampicilina dezoito horas após a ruptura das membranas ovulares.
  • B. o uso de penicilina cristalina ou ampicilina deva ser iniciado imediatamente.
  • C. o uso de antibióticos no trabalho de parto seja dispensado por não haver febre.
  • D. deva ser iniciado o uso de dobutamina após a ruptura das membranas ovulares.
  • E. seja desnecessária a profilaxia para infecção por estreptococo por não haver passado de sepse neonatal por essa bactéria.