Medicina Especialidade Anestesiologia

Durante uma consulta ambulatorial, uma jovem de 23 anos de idade relatou que, há alguns meses, vinha observando dispnéia associada a tosse seca durante a realização de atividades físicas com esforço superior ao habitual. Informou que, mais recentemente, esse sintoma tornou-se mais freqüente e passou a surgir durante a realização de atividades físicas menos intensas. A paciente negou dor torácica, tabagismo, etilismo e outras doenças pessoais ou familiares. Ao exame clínico, observou-se uma paciente acianótica, anictérica, eupnéica e afebril, com pressão arterial de 120 mmHg × 75 mmHg; freqüência cardíaca de 85 bpm; ictus cordis visível e palpável no 5.º espaço intercostal esquerdo, no nível da linha hemiclavicular esquerda; ritmo cardíaco regular em 2 tempos; hiperfonese e desdobramento da segunda bulha em foco pulmonar. Observaram-se, ainda, sopro diastólico com reforço pré-sistólico em foco mitral; sopro holossistólico, suave, mais bem audível em foco tricúspide, que se acentua com a manobra de Müller; e sopro diastólico suave, mais bem audível em foco pulmonar. Além disso, a paciente apresentava pulsos arteriais palpáveis e simétricos, discreta turgência jugular a 45º, pulmões limpos e abdome livre, sem visceromegalias e com ruídos hidroaéreos. Não foi observado edema em extremidades. O eletrocardiograma de repouso mostrou ritmo sinusal, com freqüência ventricular média de 86 bpm, SÂQRS igual a +120º e sobrecarga do átrio esquerdo e do ventrículo direito.

Considerando a situação clínica hipotética apresentada, julgue os itens subseqüentes.

O sopro diastólico audível no foco pulmonar, denominado sopro de Graham Steell, indica insuficiência da valva pulmonar secundária à hipertensão pulmonar.
  • C. Certo
  • E. Errado