Medicina Especialidade Cardiologia

Choque circulatório é uma das formas de insuficiência cardiovascular que se caracteriza, de forma geral, pela incapacidade do fluxo sangüíneo arterial de atender às demandas metabólicas da economia, ou seja há uma importante redução da perfusão tecidual periférica. Com respeito a esse tema marque a única assertiva errada.

  • A.

    O choque hipovolêmico tem como principal característica fisiopatológica a redução do volume intravascular decorrente de perda de sangue, plasma, fluidos e eletrólitos.

  • B.

    A redução aguda do débito cardíaco devido a tamponamento cardíaco, pneumotórax hipertensivo ou embolia pulmonar maciça pode resultar em choque classificado, do ponto de vista fisiopatológico, como do tipo obstrutivo.

  • C.

    O choque séptico tem como principal característica fisiopatológica uma redução inapropriada na resistência vascular periférica resultando em débito cardíaco inadequado a despeito de um volume circulatório normal, classificado, fisipatogicamente, como choque distributivo.

  • D.

    O choque cardiogênico deve-se ao comprometimento de cerca de 40% da musculatura ventricular que motiva grave decrescimento da função dessa câmara, com redução do débito cardíaco e aumento do volume diastólico final do ventrículo esquerdo levando a falência grave da bomba cardíaca.

  • E.

    As atuais evidências científicas mostram que não é possível produzir qualquer redução nas elevadas taxas de mortalidade associadas ao choque cardiogênico pós-infarto do miocárdio, a despeito do uso da terapia farmacológica, da assistência circulatória (por meio de balão intra-aórtico, p.ex.), da angioplastia coronariana e da cirurgia de revascularização miocárdica.