Medicina Especialidade Cardiologia

Um homem com 58 anos de idade, foi atendido no pronto-socorro devido a dor torácica retroesternal intensa, iniciada há 8 horas com sensação de algo rasgando. Relatou ser portador de hipertensão arterial sistêmica, em uso regular de hidroclorotiazida 12,5 mg ao dia. O exame clínico mostrou paciente agitado, com fácies de dor intensa, palidez cutânea e sudorese profusa. A pressão arterial era de 240 mmHg × 150 mmHg, a freqüência cardíaca de 110 bpm, ritmo cardíaco regular em 3 tempos, com 4.ª bulha, sem sopros; havia, ainda, assimetria de pulsos radiais e braquiais (esquerdos mais amplos que os direitos); os pulmões estavam limpos, sem outras anormalidades. O eletrocardiograma mostrou taquicardia sinusal, SÂQRS a !20º, sobrecarga do átrio e ventrículo esquerdos e alterações secundárias da repolarização ventricular: ondas T invertidas, com amplitude aumentada e infradesnivelamento do segmento ST (convexo — visto de cima) nas derivações V5 e V6. A radiografia de tórax mostrou área cardíaca normal, campos pulmonares sem alterações e presença de calcificação da capa interna, distante a 1,5 cm da silhueta externa da aorta — "sinal do cálcio". Os marcadores de necrose miocárdica estavam dentro dos limites da normalidade.

 

 Julgue os itens a seguir, considerando o caso clínico apresentado.

Devido ao elevado risco de tamponamento cardíaco (e outras complicações), se houver envolvimento da aorta proximal (ascendente), nesse caso, a melhor opção terapêutica será a correção cirúrgica.

  • C. Certo
  • E. Errado