Medicina Especialidade Cardiologia

Uma mulher com 28 anos de idade relatou episódios de mal-estar e escurecimento visual, seguidos de perda de consciência, desencadeados por esforços físicos. Segundo relato de familiares, esses episódios não se acompanhavam de liberação esfincteriana nem de convulsões tônico-clônicas. Em cada episódio, após cerca de 3 minutos, ela recobrava a consciência sem seqüelas. A paciente queixou-se, também, de dispnéia aos grandes esforços, associada a palpitações. No exame físico, ela estava acianótica, sem baqueteamento dos dedos, sem estase jugular, com ritmo cardíaco regular em três tempos (quarta bulha), com hiperfonese e desdobramento amplo de segunda bulha em foco pulmonar, sem sopros, com freqüência cardíaca de 98 bpm, com pressão arterial de 100 mm Hg × 70 mmHg, com os pulsos carotídeos, radiais e pediosos presentes, simétricos e normais. Sem outras particularidades. O eletrocardiograma convencional dessa paciente evidenciou ritmo sinusal, eixo do QRS desviado para a direita, importante sobrecarga ventricular direita. A sua radiografia de tórax mostrou área cardíaca normal, com abaulamento do arco da artéria pulmonar e aumento de calibre dos ramos pulmonares direito e esquerdo, arco aórtico de dimensão normal, hilos pulmonares sem congestão, seios costofrênicos livres.

Acerca desse caso clínico, julgue os seguintes itens.

As manifestações clínicas descritas permitem concluir que a paciente estava apresentando episódios de pré-síncope, pois não houve liberação de esfíncteres e tampouco convulsões tônico-clônicas.
  • C. Certo
  • E. Errado