Medicina Especialidade Clínica Geral

Um paciente de quarenta anos de idade, vítima de acidente automóvel versus anteparo fixo a 60 km/h, foi levado ao pronto‐socorro, pelo resgate, em prancha longa e colar cervical. Apresentava vias aéreas pérvias, com colar cervical, murmúrio vesicular bilateralmente, frequência cardíaca de 97 bpm, PA de 130 x 70 mmHg, boa perfusão periférica, bacia estável, escala de coma de Glasgow de 13, hálito etílico, pequena equimose hipogástrica, sinal do cinto, SVD hematúria franca e dor abdominal discreta. Colocou máscara de O2, acessos venosos e Ringer Lactato 1.000 mL. Radiografia de tórax sem alterações. Radiografia de bacia revelou fratura do ramo isquiopúbico à direita. Tomografia de corpo inteiro mostrou lesão hepática grau I em região de ligamento redondo do fígado, lesão renal grau II à direita, bexiga com enchimento inadequado pelo contraste em fase excretora e grande quantidade de líquido livre abdominal. Com base nesse caso hipotético, assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, o provável diagnóstico e a conduta a ser adotada.
  • A. trauma abdominal fechado, lesão hepática grau I, lesão renal grau II, lesão de bexiga intraperitoneal e tratamento inicialmente não operatório
  • B. trauma abdominal fechado, lesão hepática grau I, lesão renal grau II e cirurgia e nefrectomia esquerda
  • C. trauma abdominal fechado, lesão hepática grau I, lesão renal grau II, lesão de bexiga extraperitoneal e cirurgia, sutura de bexiga e sondagem vesical de demora
  • D. trauma abdominal fechado, lesão hepática grau I, lesão renal grau II, lesão de bexiga intraperitoneal e cirurgia, sutura de bexiga e sondagem vesical de demora
  • E. trauma abdominal fechado, lesão hepática grau I, lesão renal grau II, lesão de bexiga intraperitoneal e cirurgia, nefrectomia e sutura de bexiga