Medicina Especialidade Medicina Intensiva

Homem de 47 anos, previamente hígido, foi internado na Unidade de Terapia Intensiva por quadro de insuficiência respiratória grave, com necessidade de ventilação mecânica, por pneumonia por H1N1. O paciente ficou sob ventilação mecânica por quatro dias, necessitou de bloqueio neuromuscular por 48 horas e duas sessões de posição prona. Evolui com melhora gradual da troca gasosa. Hoje recebe noradrenalina em dose baixa (0,1 μg/kg/min), está hemodinamicamente estável, com sedação leve com propofol e fentanil (RASS – 1), está sob VM no modo pressão controlada com pressão de pico de 20 cmH20, PEEP = 10 cmH20, volume corrente de 500ml (8 mL/Kg de peso predito) e tem relação PaO2/FiO2 = 200. Recebe oseltamivir.

A conduta mais adequada para este paciente neste momento:

  • A.

    Desligar a sedação e realizar um teste de respiração espontânea.

  • B.

    Manter a sedação, reduzir o volume corrente para 6ml/kg de peso predito.

  • C.

    Manter a sedação, passar o paciente para o modo pressão de suporte e ajustar a pressão de suporte para 6ml/kg de peso predito.

  • D.

    Desligar a sedação e passar o paciente para o modo pressão de suporte e reduzir a pressão de suporte gradativamente.