Medicina Especialidade Medicina do Trabalho

Um homem de cinquenta e seis anos de idade procurou atendimento médico por apresentar quadro de sonolência diurna excessiva e dificuldade em manter-se concentrado no ambiente de trabalho. O paciente não informou outros sintomas e, de acordo com seu relato, não estava realizando nenhum tipo de tratamento médico. Sua esposa, que o acompanhava na consulta, relatou ao médico que o ronco do cônjuge era excessivamente incômodo. No exame físico, constataram-se IMC (índice de massa corpórea) de 32 kg/m2; 43 cm de circunferência do pescoço; e pressão arterial de 144 mmHg × 92 mmHg (média de três medidas). Os resultados dos demais exames físicos e os resultados dos exames complementares básicos não revelaram anormalidades significativas.

Nesse caso clínico, o exame indicado para se estabelecer o diagnóstico do paciente é

  • A. a nasofibrolaringoscopia.
  • B. a ressonância magnética do encéfalo.
  • C. a polissonografia assistida, a ser realizada à noite, em laboratório do sono.
  • D. a monitorização eletrocardiográfica ambulatorial de vinte e quatro horas (holter de vinte e quatro horas).
  • E. o eco-Doppler de artérias carótidas e vertebrais.