Medicina Especialidade Psiquiatria

Em relação à psicopatologia do delírio, considere as seguintes afirmativas e assinale a correta:

  • A.

    A percepção delirante é definida segundo K. Schneider pela atribuição a uma percepção normal um significado anormal. A percepção se encontra alterada pela vivência delirante, de tal forma que adquire um significado especial. K.Schneider considera a percepção delirante como uma perturbação da sensopercepção e do juízo. Na percepção delirante primária as funções da capacidade de julgamento (critica) e do pensamento se encontrariam preservadas.

  • B.

    Na reação deliróide existe um motivo que se baseia em determinado estado de ânimo, a partir do qual se tornam compreensíveis a significação e as referências anormais. Para K. Schneider as idéias deliróides se constituem sobre uma base afetiva, emocional ou física. A diferenciação entre delírio e reação deliróide propiciou um avanço na psicopatologia, de forma que as reações deliróides possam ser ocasionadas por vivencia patológicas, como por exemplo, delírio hipocondríaco em paciente com quadro depressivo grave e delírio de grandeza em paciente com episódio maníaco grave.

  • C.

    A percepção delirante apresenta cinco membros (ou partes) segundo K. Schneider que podem ser definidos, da seguinte forma: o primeiro vai do objeto ao individuo, o segundo do indivíduo que percebe ao objeto percebido, o terceiro representa a significação normal do objeto percebido pelo indivíduo, o quarto corresponde à interposição da percepção delirante entre objeto percebido e atribuição da significação; por fim o quinto representa a significação anormal do objeto percebido.

  • D.

    Para Cabaleiro Goás o principal é o conteúdo da percepção delirante, pois representa um acesso direto ao inconsciente e impulsos do indivíduo, representando uma fragilidade do super-ego. As percepções delirantes tomam emprestadas características do id do enfermo, de forma que se observam freqüentemente conteúdos de autoreferencia. A fragmentação da integridade do EU leva a uma inversão da intencionalidade, e perde-se a referencia EU-OUTRO. Esta mistura entre interior e exterior leva a uma diluição da sensação de imposição da vivencia delirante. Esse conceito coincide com o de Jasper que considera o delírio como uma alteração da estrutura do pensamento.

  • E.

    Para K. Schneider a ocorrência delirante resulta de uma crença puramente subjetiva e é dotada de significação especial para o paciente. Esse conceito diverge do que Jaspers descreve como representação delirante e cognição delirante. Para K. Schneider a ocorrência delirante tem apenas um membro, pois se trata de um fenômeno no qual não se pode fazer divisão, pois une diretamente o indivíduo à ocorrência. Para K. Schneider a ocorrência delirante é até mais importante que a percepção delirante para diagnóstico da Esquizofrenia.