Medicina Especialidade Cirurgias Transplante

Considere um paciente de 40 anos de idade, transplantado renal há seis meses, doador cadáver, em uso de prednisona 5 mg, micofenolato sódico 720 mg e tacrolimus 4mg duas vezes por dia. Refere, em consulta de rotina com o nefrologista, que, há três semanas, vem apresentando quadro de astenia, fadiga e aumento de níveis pressóricos, chegando a PA de 160 mmHg x 100 mmHg, aferida em posto de saúde na última semana. Nega febre. Apresenta como comorbidades gota, abuso de anti-inflamatório não esteroide (AINE) e litíase renal. Nos exames realizados há dois meses, apresentava Hb = 14 g/dL, leucócitos = 9.000, plaquetas = 160.000, ureia = 43 mg/dL, creatinina = 0.9 mg/dL, DHL = 420 U/L (VR = 240-480 U/L), ácido úrico = 7.2 mg/dL. Nos exames atuais, apresenta Hb = 9,0 g/dL, leucócitos = 10.000, plaquetas = 85.000, ureia = 99 mg/dL, creatinina= 2,8 mg/dL e DHL = 900 U/L. Ao exame físico, apresenta-se descorado (+2/+4), hidratado, com PA = 170 mmHg x 100 mmHg, ausculta cardíaca e respiratória normais, com FC = 85 bpm, FR = 16 imp e saturação de O2 = 98% em ar ambiente. É internado para investigação de piora de função renal, sendo constatada, nos exames, a presença de esquizócitos em esfregaço sanguíneo, K+ = 5,0 mEq/L, bilirrubinas aumentadas às custas da indireta e haptoglobina reduzida, nível de tacrolimus = 20 ng/dL (VR para transplante renal = 3-10 ng/dL), com proteinúria de 24 horas = 400 mg e EAS com proteinúria 2+ sem demais alterações.

Com base nesse caso clínico e nos conhecimentos médicos correlatos, julgue os itens a seguir.

Na suspeita MAT mediada por complemento, o tratamento de escolha é o uso de plasmaférese e deve ser realizado dentro de 24 a 48 horas da suspeita diagnóstica.
  • C. Certo
  • E. Errado