Paciente de 57 anos, G2P2A0, comparece à consulta queixando-se de secura vaginal e dispareunia. Relata menopausa há cinco anos e não usa terapia hormonal. É hipertensa e usa hidroclorotiazida e captopril. Trouxe exames realizados há cerca de seis meses: citologia negativa para neoplasia e mamografia categoria 2 BIRADS. O exame ginecológico evidencia atrofia urogenital.


Em relação ao tratamento dos sintomas apresentados, é correto afirmar que

  • A.

    a tibolona nas doses de 1,25 mg/dia é a primeira opção para tratar a atrofia vaginal e a dispareunia , além de apresentar benefícios cardiovasculares (nível de evidência: A).

  • B.

    a terapia estrogênica é efetiva para tratar sintomas isolados da atrofia vaginal e dispareunia, sendo a via vaginal preferível (nível de evidência: A).

  • C.

    os estrogênios equinos conjugados 0,3 mg ou 17beta-estradiol transdérmico são os mais efetivos e seguros para o tratamento da atrofia vaginal (nível de evidência: A).

  • D.

    não há evidências de que a terapia estrogênica local seja efetiva para tratar os sintomas isolados de atrofia genital em mulheres após os 60 anos (nível de evidencia: A).