Sociologia (Ciências Sociais) Conceitos sociológicos O processo de socialização Socialização secundária: educação

“Os programas contra a violência que existem nos principais países têm alguns pontos em comum: a tentativa de satisfação das necessidades dos jovens; o desenvolvimento de um ambiente solidário, humanista e cooperativo; a intenção de criar relacionamentos positivos e duradouros entre os alunos, professores e funcionários; a preocupação com um tempo não-escolar a ser assumido pela instituição escolar e a ser programado em interação com a comunidade. Ao mesmo tempo, há um objetivo de se incorporar o conflito como uma tensão positiva para a escola, como algo que pode criar coesão social, a escola assumindo o conflito como criador social. Tudo isso implica em assumir uma prática de negociação instaurada no interior da escola, em especial nos próprios grupos de alunos, através, por exemplo, da ideia de mediação pelos pares, de forma a criar responsabilidades entre os próprios membros da escola”.

TAVARES-DOS-SANTOS, José-Vicente. A violência na Escola, uma questão social global. In: BRICEÑO-LEÓN, Roberto (org.). Violência, Sociedad y Justicia em America Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2002. p. 117-133.

Considerando o que se afirma no texto acima, assinale a afirmação verdadeira.

  • A. A construção de uma cultura de paz nas escolas pressupõe investimentos em segurança pública, com participação de operadores de segurança na gestão escolar.
  • B. Os jovens não devem ser objetivados como um problema, mas como parte integral de ações para o enfrentamento da violência em espaços escolares.
  • C. Os jovens precisam aprender que o conflito é sempre algo ruim, aprendendo técnicas de autocontrole que possibilitem evitar o conflito antes que ele aconteça.
  • D. Os professores são peças fundamentais na mediação de conflitos, assumindo a responsabilidade pelo que acontece aos jovens na escola.