Ricardo, com oito anos de idade, sob diagnóstico de paralisia cerebral, apresenta atraso neuropsicomotor decorrente de tal patologia. O paciente possui controle cervical; realiza preensões com ambas as mãos, quando os objetos são colocados próximos as suas mãos; faz uso de cadeiras de rodas; apresenta um quadro de diplegia e aumento de tônus muscular; e mostra-se capaz de seguir os objetos com os olhos, mas quando intenciona pegá-los não consegue devido à imensa incoordenação motora. A mãe relata que Ricardo freqüenta escola especial, mas que, devido à incoordenação motora, o paciente não consegue manipular o computador nas aulas de informática. Relata ainda que a criança muitas vezes coloca-se em isolamento e que já passou por diversas terapias, entre as quais alguns terapeutas utilizaram como recurso o método Bobath.

Com base no estudo de caso acima e em assuntos correlatos, julgue os itens subseqüentes.

Embora haja vários sistemas padronizados de avaliação de terapia ocupacional, quando se trata do diagnóstico de paralisia cerebral, alguns pontos particulares precisam ser observados, como alteração do tônus muscular, capacidade de estabelecer controle seletivo de movimentos, manutenção de diferentes posturas, bem como realização de mudanças posturais, efetividade de reações de equilíbrio e retificação corporal, desempenho funcional de membros superiores e coordenação visuomotora.

  • C. Certo
  • E. Errado