Questões de Concursos Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP)

Ver página TJ/AP/AP Navegar questão a questão

Questão 729964

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Juiz de Direito Substituto / Questão 4

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Nas obrigações alternativas,
  • A. não poderá haver pluralidade de optantes, cabendo a escolha a apenas uma pessoa.
  • B. a escolha cabe ao devedor, se outra coisa não se estipulou, não podendo, porém, obrigar o credor a receber parte em uma prestação e parte em outra.
  • C. a escolha cabe ao credor, salvo acordo em sentido contrário, e ele pode exigir do devedor que lhe pague parte em uma prestação e parte em outra.
  • D. se uma das duas prestações não puder ser objeto de obrigação ou se tornar inexequível, a outra também será extinta.
  • E. se, por culpa do devedor, ambas as obrigações se tornarem impossíveis, não competindo ao credor a escolha, pagará o devedor a metade do valor de cada prestação.

Questão 729968

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Juiz de Direito Substituto / Questão 8

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Lupércio, precisando de dinheiro, tomou emprestado R$ 20.000,00 de Jonas, oferecendo-lhe em penhor alguns móveis que guarnecem sua residência, e R$ 200.000,00 de Clodoaldo, oferecendo-lhe em hipoteca sua casa de moradia. Lupércio pagou metade das dívidas contraídas com esses amigos, sendo que Jonas, em razão da amizade, restituiu ao devedor os móveis empenhados. Neste caso,
  • A. as garantias se extinguiram proporcionalmente ao pagamento das dívidas.
  • B. ficou extinta a garantia oferecida a Jonas, mas não ficou extinto o restante da dívida, e a garantia oferecida a Clodoaldo permaneceu íntegra, embora paga metade da dívida.
  • C. extinguiu-se a dívida contraída com Jonas e a garantia oferecida a Clodoaldo reduziu-se à metade ideal do imóvel.
  • D. são nulas as garantias oferecidas a Jonas e Clodoaldo, porque se trata de bem de família, mas as dívidas restantes subsistem.
  • E. os contratos são nulos, porque é ilícita a garantia oferecida como bem de família e os credores só poderão cobrar Lupércio com base no princípio que veda o enriquecimento sem causa.

Questão 729972

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Juiz de Direito Substituto / Questão 12

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Sobre a posse e os direitos do possuidor, é correto afirmar: I. O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá manterse ou restituir-se por sua própria força, contanto que o faça logo; os atos de defesa, ou de desforço, não podem ir além do indispensável à manutenção, ou restituição da posse. II. Os frutos naturais e industriais reputam-se colhidos e percebidos, logo que são separados; os civis reputam- se percebidos dia por dia. III. Ao possuidor de má-fé serão ressarcidas somente as benfeitorias necessárias; não lhe assiste o direito de retenção pela importância destas, nem o de levantar as voluptuárias. IV. As benfeitorias não se compensam com os danos e não dão direito ao ressarcimento mesmo quando não mais existirem ao tempo da evicção. V. Considera-se possuidor aquele que, achando-se em relação de dependência para com outro conserva a posse em nome deste e em cumprimento de suas ordens ou instruções. Está correto o que consta APENAS em
  • A. III, IV e V.
  • B. I, II e III.
  • C. I, IV e V.
  • D. II, III e IV.
  • E. II, III e V.

Questão 767397

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Analista Judiciário - Área Judiciária e Administrativa / Questão 1

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Ao admitir que há lugares em nossa casa em que nos sentimos melhor ou pior que em outros, o autor do texto
  • A. reconhece que o fato se explica de modo inquestionável quando recorremos às ciências que estudam as nossas sensações.
  • B. admite também que esses lugares e essas sensações jamais se fixam, uma vez que aqueles e estas variam o tempo todo.
  • C. considera a vantagem de estar fora de casa, sendo gratificante a nostalgia de se sentir longe do espaço familiar.
  • D. aceita o fato de que há algum nexo especial entre sensações específicas e determinados lugares que ocupamos.
  • E. explica o fenômeno pelo fato de em nossa casa estarmos mais sujeitos a variações de humor do que em lugares estranhos.

Questão 767398

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Analista Judiciário - Área Judiciária e Administrativa / Questão 2

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Atente para as seguintes afirmações do monge Hugo de Saint Victor, citado no texto:

I. A perfeição de um homem se mostra não na sua relação afetiva com o torrão natal, mas no apreço a qualquer lugar em que esteja.

II. Um homem demonstra grande fraqueza quando pretende eleger como pátria sua um país diferente do seu.

III. Demonstra superioridade o homem que não estabelece relação de familiaridade e dependência com qualquer lugar do mundo.

Está correto o que se afirma APENAS em
  • A. I e II.
  • B. III.
  • C. II e III.
  • D. I e III.
  • E. I.

Questão 767399

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Analista Judiciário - Área Judiciária e Administrativa / Questão 3

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

No último parágrafo do texto,
  • A. a expressão ou seja indica que o monge não tinha plena convicção do que estava enunciando.
  • B. a expressão tratando-se de um monge torna uma verdade absoluta o que se vai afirmar.
  • C. o segmento Não deixa de ser instigante coloca uma sombra de dúvida sobre o que se vai afirmar.
  • D. o segmento é possível suspeitar anuncia uma inferência dada como aceitável.
  • E. o segmento que nos é próprio refere-se ao lugar estrangeiro ao qual nos adaptamos com prazer.

Questão 767400

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Analista Judiciário - Área Judiciária e Administrativa / Questão 4

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um segmento em:
  • A. especial elemento de atração (1º parágrafo) = extraordinário polo de tensão.
  • B. projeção contrária dessa sensação (1º parágrafo) = inverso irreal da emoção.
  • C. extinguiu sua dependência (3º parágrafo) = protelou sua subordinação.
  • D. o respeito do desconhecido (4º parágrafo) = à consideração do estranho.
  • E. um lugar que lhe seja próprio (4º parágrafo) = um espaço de pertencimento.

Questão 767401

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Analista Judiciário - Área Judiciária e Administrativa / Questão 5

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Superior

O verbo entre parênteses deverá flexionar-se de modo a concordar com o termo sublinhado na frase:
  • A. As linhas em que o autor viu sabedoria, penso eu, de fato a (exibir).
  • B. As razões a que ele (recorrer) para se sentar ali não convencem ninguém.
  • C. Entre os muitos lugares que (haver) na sala, prefiro o canto junto à janela.
  • D. Quem já morou em vários países nem sempre (alimentar) alguma predileção.
  • E. Aos monges medievais sempre (competir) meditar com grande profundidade.

Questão 767699

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Técnico Judiciário - Área Judiciária e Administrativa / Questão 3

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Médio

Os pronomes destacados no último parágrafo − nós, nosso, nos, nossa − fazem referência
  • A. aos povos indígenas da Amazônia.
  • B. a todos os indígenas brasileiros.
  • C. às redes de intercâmbio indígenas.
  • D. aos representantes da cultura hegemônica.
  • E. a todos os habitantes das zonas urbanas do Brasil.

Questão 767704

Tribunal de Justiça do Amapá  - AP (TJ/AP/AP) 2014

Cargo: Técnico Judiciário - Área Judiciária e Administrativa / Questão 8

Banca: Fundação Carlos Chagas (FCC)

Nível: Médio

Acentuam-se devido à mesma regra os seguintes vocábulos do texto:
  • A. também, mantêm, experiências.
  • B. indígenas, séculos, específico.
  • C. acúmulo, importância, intercâmbio.
  • D. políticas, história, Pará.
  • E. até, três, índios.