Língua Portuguesa Morfossintaxe do período Análise sintática

Levando em consideração o texto como um todo e as orientações da prescrição gramatical no que se refere a textos escritos na modalidade padrão da Língua Portuguesa, assinale a alternativa correta.

  • A.

    A comparação contida no trecho “Ambos, imperador e império, exibiam uma imagem fragilizada e um corpo cansado”, do primeiro parágrafo, e a metáfora contida em “o Brasil já era um vasto hospital”, do terceiro, são recursos proibidos em texto técnico, mas são extremamente prolíficos em um texto literário como aquele do qual foi extraído o fragmento analisado.

  • B.

    Nos fragmentos: “de onde ele havia zarpado” e “Treze meses haviam se passado”, ambas do primeiro parágrafo, e “doenças infectocontagiosas, para as quais não havia cura”, do terceiro parágrafo, as três ocorrências do verbo haver pertencem à mesma classe gramatical, exercem a mesma função sintática e são correspondentes do ponto de vista semântico.

  • C.

    No trecho inicial do quarto parágrafo: “De fato, 38 anos antes, no verão de 1850, uma devastadora epidemia de febre amarela havia chegado à zona portuária do Rio de Janeiro”, a supressão do acento grave destacado é correta gramaticalmente, mas implica alteração do sentido.

  • D.

    Na oração: “E, algumas delas, tinham começado a se disseminar justo a partir daquele porto no qual D. Pedro II acabava de desembarcar”, do terceiro parágrafo, é correta a supressão das duas ocorrências da vírgula, e o termo destacado pode ser substituído, sem que ocorra erro gramatical ou prejuízo semântico, por “em que”, mas não por “onde”.

  • E.

    Nos trechos: “E os elixires e ‘remédios secretos’, anunciados pelos jornais”, do primeiro parágrafo, “pois foi em função dele que o ministério do Império decidiu nomear”, do quarto, e “a instituição havia sido criada graças às pressões da Sociedade de Medicina”, do quinto, todas as expressões destacadas expressam a mesma circunstância.